A melhor canção de todos os tempos…

Publicado em: 31/07/2011

Depois de um longo período afastado, retomo esta coluna com um assunto que me parece bastante atual.  Alerto, amigos, que o título é uma pequena malandragem de minha parte. Não pretendo a ilusão de eleger aquela que seria a melhor canção de todos os tempos. Seria uma estupidez sem tamanho que ninguém seria capaz de encarar, até porque essa unanimidade não existe. Depois de esperar alguns lançamentos recentes, sejam eles de novos ou antigos nomes da MPB, percebi a uma tendência a composições “bacaninhas”, simples, com excelentes materiais sonoros que não foram desenvolvidos nas suas respectivas canções.
Observei que os compositores brasileiros não estão tentando compor e muito menos arranjar aquela que seria a sua “melhor canção de todos os tempos”.

Creio que a canção precisa ser não apenas um hit ou um refrão emblemático – e não estou falando de música comercial, colegas! – mas uma obra que envolva o máximo da capacidade intelectual e emocional possíveis.
 
Quem compra um cd, anseia chegar em casa para ouvir. No caminho, pensa: Será que ele se superará? Ele está mais velho, temos que ponderar… etc. Tenta decifrar que diabos significa o título do trabalho, sempre muito espirituoso e místico… Ao colocar o disco compacto no aparelho aguarda “aquela” que será a música preferida. E, dependendo do artista, ela vem. Mas, para sua decepção, acompanhada de muitas outras menos cuidadosas, produzidas, simples ou pouco inspiradas. Com o tempo nos acostumamos as demais, mas deixamos escapar uma ponta de decepção.
 
O que seria do disco “Sentinela” (1980) de Milton Nascimento, sem a música que dá nome ao disco? O que seria de “Meus caros amigos” (1976) sem a canção “Meu caro amigo” de Chico Buarque? E do disco “Galos de briga” (1976), esquecendo de “O ronco da cuíca”, de João Bosco e Aldir Blanc? De fato, esse é um fenômeno histórico e compreensível. Entretanto, é preciso procurar a onda perfeita para alcançá-la.
 
Assim, pensei em trazer alguns trabalhos que objetivam aquela que seria a “melhor canção de todos os tempos” de alguns artistas. Lançado esse ano, o disco do violonista e compositor Marcelo Camelo “Toque Dela” (2011) encontra sua obra-prima em “Três Rios”. O arranjo complexo e a inteligente atmosfera de simplicidade da canção fazem desta a cereja do bolo do álbum. Outro novo talento, a cantora Roberta Sá muniu-se da artilharia pesada do Trio Madeira-Brasil e das obras do compositor baiano Roque Ferreira para gravar “Água-doce”, do disco “Quando canto é reza”, de 2010. A gravação é esplêndida, e a obra é uma das mais belas do portentoso cancioneiro baiano.
 
Para não falarmos apenas de novos nomes, anuncio com muita alegria o lançamento de “Chico” (2011), daquele que é considerado o melhor cancionista vivo, Chico Buarque de Hollanda. Como exemplo da busca valente do compositor de 67 anos pela sua melhor canção de todos os tempos, temos a última faixa, dividida em inspiração com o também genial João Bosco chamada “Sinhá”. A obra precisou de uma pesquisa lingüística para caracterizar um Brasil Colônia onde um escravo pedia para não ser açoitado por flertar com uma sinhá. O resultado sonoro que ouviremos aqui é a prova viva de que o “gênio da raça”, como assim descreveu Tom Jobim, procura se superar disco após disco, mesmo sendo o volume de sua produção mais rarefeito.
 
Que seu exemplo sirva para nossos novos talentosos compositores – que existem, não duvidemos! Se a obra-prima não vier, se não vir a se tornar a melhor canção de todos os tempos, sobram para nós, pobres ouvintes, mais uma maravilhosa obra, desejando sucesso da próxima vez! Saciados!

“Sinhá” (2011) de Chico Buarque e João Bosco.

1 responder
  1. Edson Rodrigues do Prado says:

    Cara !…..
    Falar que é muito bom é total falta de inspiração para achar palavras para o que pode ser uma “nova” prima.
    O Cara é bom pra caramba véi……
    Manda mais se tiver….
    e
    não posso deixar de comentar……QUASE FICAMOS INTERDITADOS TAMBEM lá no cafofo da fundação…..hahahahahahahahahahaha.
    O que mais falta agora ??????

    Abraços

    Edson

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *