A Publicidade é a ‘Alma do Negócio’

Publicado em: 20/04/2013

Quem não acredita em publicidade deve estar muito desatento ao que acontece neste conturbado mundo moderno. O cidadão destes tempos vive movido a publicidade. Veste o que dizem no rádio e televisão, come o que lhe é sugerido no comercial de TV, compra o carro que dizem que é melhor e mais barato. Os mais seletivos comem o que tem menos açúcar, menos gordura e tratam da saúde de acordo com o que dizem nos comerciais e programas especializados que surgem diariamente na telinha. Há exemplos muito fortes da eficiência da publicidade em vários setores, destacando-se  políticos e artistas ou candidatos as duas coisas, juntas ou separadas.

A boa publicidade feita em torno do presidente Lula transformou o ex-operário num verdadeiro mito. Nem as críticas mais contundentes e bem formuladas fizeram efeito contra o líder petista. Muitos afirmavam que Lula era blindado, para não revelar como isso era feito.  Tudo indica que a publicidade criou essa blindagem que defende o ex-presidente de quase todas as acusações que surgem e misteriosamente desaparecem em pouco tempo.

No campo artístico há  vários casos de celebridades que surgiram, sem muito talento, sustentadas por bons programas publicitários. Um  caso muito  significativo de como a publicidade cria celebridades com grande facilidade, é o de uma moça que participou de um programa na Rede Globo. Mostrou a dezenas de outros que lá estiveram, que não basta aparecer; é preciso saber manter a imagem junto ao público e para isso a publicidade é fundamental.

Sabrina Sato que não é nenhum talento notável, tem uma programação excelente na mídia, frequentando com assiduidade páginas importantes de grandes jornais, programas de TV e rádio. O que ela faz, não se sabe ao certo. Atriz? Cantora? Instrumentista? O que? Parece que nada disso, apenas uma jovem que soube encontrar o caminho da fama de forma rápida e duradoura, através da publicidade. Como já diziam os mais antigos e sabem os bem modernos: a publicidade é alma do negócio, mesmo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *