A troca de arcebispos

Publicado em: 30/09/2012

Memória | Capítulo 19 | Mancada | Rádio Clube Paranaense

Até os anos 70 a Rádio Clube Paranaense tinha duas emissoras de Ondas Curtas, em 25 e 49 metros. A cobertura era internacional, mas em algumas regiões brasileiras menos distantes a sintonia não era satisfatória. Por isso, ansiávamos por ter uma emissora de Ondas Curtas em 31 metros que já havíamos requerido. Depois de muita luta, conseguimos a concessão. Acontece que a emissora não dispunha do numerário necessário para comprar o transmissor. Como o Dentel determinava um prazo para a instalação e já havíamos solicitado, e obtido, diversas prorrogações, um dia recebemos o ultimato: “ou instalam ou perdem o direito”.

A Bedois já pertencia à Fundação Nossa Senhora do Rocio e, após uma luta enorme e dificuldades sem conta, conseguimos comprar o transmissor e instalar.

Um dia, fomos à sede dos transmissores, no bairro do Atuba, para a inauguração festiva.

Presentes o Arcebispo de Curitiba e todos os diretores da Fundação, autoridades civis, militares e eclesiásticas, na qualidade de diretor da emissora fui dar o discurso inaugural. Após saudar a todos os presentes, falei assim:

– “Dentro de instantes, ao ser pressionado um botão, a nossa emissora de Ondas Curtas em 31 metros será oficialmente colocada no ar por Sua Excelência Reverendíssima, o Arcebispo Metropolitano de Curitiba, Dom Manuel da Silveira D’Elboux”.

E parei de falar ao ver o olhar de espanto das pessoas presentes. Acontece que Dom Manuel já havia falecido fazia tempo, e o Arcebispo que ali estava era Dom Pedro Fedalto que tanto havia prestigiado a Rádio Clube e com o qual eu me encontrava quase todos os dias quando ele ia apresentar a Hora do Angelus. Foi uma senhora mancada.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *