A Velha Viena

Publicado em: 09/01/2006

Em seus primórdios, em 1943, a Guarujá de Florianópolis entra no ar a partir das 10 horas da manhã com o musical Velha Viena, seguindo a programação normal até às 14 horas, quando neste horário é feita uma pausa para que os equipamentos possam “descansar”, pois por serem frágeis aquecem rapidamente.
Por Ricardo Medeiros e Antunes Severo

No final da tarde, a rádio retorna com O Instante  da Prece, que continua a ser transmitido também pelo sistema de alto-falante, que funciona nesta época  somente algumas horas do dia, em paralelo com a emissora de rádio. Um dos primeiros cantores, dito de projeção, a participar da programação da Guarujá é o lagunense Raimundo Pereira. Em seu repertório, uma série de músicas gauchescas, herança do seu período vivido no Estado vizinho.
Ainda no início da década de 1940, a Guarujá, com sintonia de 1420 Khz, muda de endereço. Sai dos  altos da Confeitaria Chiquinho, porém, permanece nos arredores. A estação  se  instala no segundo andar do edifício onde hoje funciona o Besc Cobrança, junto à Praça XV de Novembro. Lá é montado o estúdio, assim como um auditório, batizado de Presidente Roosevelt, inaugurado pelo Governador- Interventor do Estado, Nereu Ramos.
Dessa forma, a  estação começa a se inserir mais fortemente no cotidiano da cidade, como atesta uma nota de jornal de 1946: “(…) A Guarujá já pode ser considerada a estação da cidade, fazendo parte da vida da Capital, tornando-se um orgulho para o Ilhéu. A vida social e os acontecimentos a que a cidade e sua população estão ligadas possuem, na Guarujá, a repercussão imediata, já que até os automóveis rodam com a emissora  sintonizada.” 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *