A vida e a privada – que se cuidem os descuidados

Publicado em: 07/05/2014

Aconteceu no Recife. Sei, você já sabe, mas é bom lembrar. Refiro-me ao torcedor indignado que atirou uma privada do alto do estádio e matou um transeunte.

selo-sintonia-finaA CBF interditou o estádio, a polícia investiga o caso – embora diga que quem deve cuidar de suas latrinas é o clube – e nós continuamos aqui sem entender exatamente o que está acontecendo neste mundo cada dia mais louco.

É um exagero o que disse recentemente um desses analisas de bar sobre o papel da imprensa  no combate a violência. Mas, muita coisa acontece por repetição depois que os órgãos de comunicação divulgam algum fato louco ou criminoso.

A privada jogada por um torcedor em Recife teve um imitador em Curitiba. Numa manifestação contra a Copa do Mundo o maluco jogou uma privada na porta da Prefeitura.

Culpa da imprensa que divulgou o fato anterior? Nada disso. A imprensa tem que estar atenta aos acontecimento e publicar aquilo que considera de interesse público.

A loucura das pessoas, a falta de policiamento que facilita o crescimento da violência, é uma historia antiga cujo principal responsável (o governo) só pensa mesmo em eleições. Quantos votos vão precisar na próxima, quem serão os aliados, quanto de dinheiro no caixa de campanha, quem serão os doadores e o resto que se dane.

Violência, hospitais daquele jeito, estradas matando mais que as guerras no Oriente Médio, nada disso comove quem está fora de sintonia com os problemas básicos de um povo.

Agora foram duas privadas(limpas) jogadas em protesto nas ruas de grandes cidades brasileiras. O dia em que resolverem jogar aquilo que a música diz que jogaram  na “Geni”, nem eles (os poderosos) vão aguentar o mau cheiro.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *