Amicus ad perpetuum, o livro do galego Dobes

Publicado em: 08/07/2012

Para o leitor mais jovem talvez possa parecer meio estranho esse título aí misturando bom latim com um apelido pouco elegante. O fato, porém, é que o livro foi mesmo escrito pelo advogado, especialista em Direito Trabalhista Aluísio Dobes. Destacado jogador de basquete Dobes, também conhecido por Papai Noel, é autor de um gostoso livro que fala de duas lendas da Florianópolis dos “meados do século XX”. O livro foi lançado pela Editora Pandion, de Florianópolis em 2008, mas a distribuição ficou limitada ao seu seleto grupo de amigos. Por isso, Caros Ouvintes que se honra de ter entre seus fundadores, colaboradores e dirigentes muitos amigos daquela época, tem o prazer de apresentar Amicus ad perpetuum, com palavras do próprio autor.

“O texto está dividido em duas partes: na primeira, foca-se a Turma da Esquina, ou do Lira, cujo marco inicial pode ser situado nos anos de 1954 ou 1955, e se finda lá pelos anos de 1970, abrangendo as fases infantil, juvenil e adulta de uma turma de rua”.

“Na segunda parte, discorre-se com se deu a interação da Turma do Lira com a Turma do Doze, os dois principais clubes sociais de então, de modo mais intenso e efetivo a partir de 1960. Naquela data o Lira Tênis Cube encerrou as atividades do seu time de basquetebol, formado, em sua maioria, pelos rapazes da Turma da Esquina, e estes se transferiram com armas e bagagens para p Clube 12 de Agosto, o antigo adversário nas lides esportivas. A ausência do Lira nas disputas facilitou a fusão das duas turmas e em curto espaço de tempo, todos se tornaram ardorosos torcedores e amantes do “Veterano” da Rua João Pinto, como também era conhecido o Clube Doze de Agosto, fundado em 1882”.

Se você é daquela época e quer rememorar, ou se você é mais jovem e gostaria de saber um bocado do que aprontava a meninada (meninas e meninos) daquela época e não encontra o livro na sua livraria, então entre em contato com o Dobes pelo e-mail [email protected]

Aloísio Dobes, nasceu em Florianópolis, em 1942 e passou a infância e adolescência nas ruas Conselheiro Mafra, Padre Roma e Avenida Rio Branco. Estudou no Colégio Catarinense e no Instituto Estadual de Educação Dias Velho. Na vida profissional trabalhou na Escola Técnica Federal e na Universidade Federal de Santa Catarina, onde se aposentou em 1991. A partir de então passou a exercer a advocacia dedicando-se em especial ao Direito Público e ao Direito Administrativo.

1 responder
  1. ENO JOSÉ TAVARES says:

    Amicus ad perpetuum… ídolo como artista da bola ao cesto pelas ruas sem calçamento, sem iluminação e dos terrenos baldios… Galego Dobes, sobrinho da querida Mestra Mirosky e toda aquela galegada da Rua Padre Roma… Bons de dominó e de amizades sem jaça… Vovô Dobes – não meu avô, pois somos da mesma idade, ou quase – das aventuras no Pasto do Bispo, nos “campos peladões” do velho cemitério alemão/brasileiro, nos altos da Rua Felipe Schmidt… Galego Dobes, polacão forte e maior que os meninos seus contemporâneos, mas sempre amigo, conciliador e Amicus ad perpetuum.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *