Andança pela net em busca de novidades!

Publicado em: 06/07/2009

Uma rádio-online que cobra mensalidade e outros “babados”.

:: Navegando, tento encontrar uma rádio-online pra valer, e nada. Deparo com a www.lastfm.com.br que tem só uma razoável seleção musical, mas que a partir da trigésima música baixada cobra uma pequena taxa mensal de 3 reais. Além das rádios profissionais de AM e FM, é grande o número de “emissoras” que transmitem exclusivamente pela net; no entanto, o conteúdo oferecido é quase que inteiramente musical. Além disso, pouca coisa interessante rola em suas programações.

:: O site de buscas mais acessado tem um novo concorrente: www.bing.com que está no ar, bem menos robusto em respostas do que o Google famoso. Algumas matérias de Caros Ouvintes já fazem parte do acervo do Bing.

:: Leio que o nordestino Antônio Eusébio chega aos 104 anos de idade. Ele não abre mão de um gole de cachaça nas refeições e de tomar um banho gelado diariamente.  O pernambucano mora em Maringá, no Paraná, para onde se mudou na década de 70, é pai de oito filhos e ainda joga futebol com o neto de 7 anos.

:: Essa aqui fala sobre o Projeto de Lei para proteger música e filme na internet. Prevê punições que podem chegar até a perda do acesso à internet aos usuários que fizerem o download de arquivos da web protegidos por direitos autorais, como músicas e filmes. Esse projeto do deputado federal, Bispo Gê Tenuta (DEM-SP), prevê que os provedores seriam obrigados a controlar os internautas brasileiros que, a partir da terceira advertência, teriam a conexão suspensa por 3 meses. Na quarta, 6 meses e no caso de uma quinta advertência o cancelamento definitivo do serviço.

:: A reportagem do CQC antes não tinha acesso ao Congresso Nacional para realizar entrevistas. Agora tem e apanha. Foi o que ocorreu quarta-feira (1º/07) com o repórter Danilo Gentile, que foi agredido por dois seguranças do senador José Sarney. Ele fez duas perguntas ao presidente do Senado. Não teve respostas e, além de levar socos e ter o microfone arrancado da mão, foi agarrado por trás e derrubado no chão. O barraco, que demonstra bem como funciona a democracia em nosso Congresso Nacional, está no YouTube (clique aqui http://www.youtube.com/watch?v=yXo10BYef-0)

:: Na noite do mesmo dia (1º/07), em Porto Alegre, no estádio Beira Rio, outro repórter do CQC, Felipe Andreoli, mais cinegrafista e produtor que o acompanhavam passaram por um grande sufoco. Torcedores do Internacional, time que naquela noite viria a perder o título de campeão da Copa Brasil para o Corinthians paulista, recepcionaram os integrantes do polêmico programa da Rede Bandeirantes de Televisão com latas de cerveja, garrafas plásticas, líquidos de todas as espécies e outros objetos. Dizem que os colorados ficaram descontentes com alguma piada que colocou sob suspeita a hombridade dos gaúchos. Em seu blog, Felipe Andreoli  desmente essa versão.

Conta que a equipe do CQC chegou ao estádio acreditando que poderia gravar normalmente, mas não foi isso o que aconteceu. Um grupo de torcedores do Internacional se aproximou e começou a xingar os profissionais com palavrões e a chamá-los de corintianos.

“Tomei uma gravata e tive que me livrar. Se não fosse um santo segurança do estádio, a gente ia apanhar feio. Eu, o cinegrafista e o produtor. Por sorte, o grandão apareceu. Um ou outro torcedor ainda tentaram nos proteger, ajudar, vale ressaltar”, comentou.

Na capital federal e na capital gaúcha, é dura a vida de repórter, do CQC. E como!

:: Speedy pra que te quero speedy. Antigamente, tê-lo era sinônimo de acesso de banda-larga rápido. Um apagão hoje, outro amanhã, fizeram com que a Anatel proibisse a Telefonica de São Paulo de habilitar esse importante serviço para novos usuários enquanto não for restabelecido o padrão de qualidade dos primeiros tempos de seu lançamento no Brasil.

Agora mesmo, forçado pela lentidão do meu speedy (tem 2 megas) vou apressar o fim desta coluna.
Para conferir como anda a velocidade de sua conexão, faça teste pelo RJNET http://www.rjnet.com.br/1velocimetro.php

:: Ainda sobre o fim da obrigatoriedade de diploma para o exercício da profissão de jornalista, extinta recentemente pelo STF, recebo resposta de Johnny Saad, presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação:

Caro Jair,
Desculpe a demora para responder seu e-mail. Segue minha posição:

“O fim da obrigatoriedade do diploma de jornalista é uma boa notícia por razões muito claras e até óbvias. A primeira delas é que acaba uma camisa-de-força que não fazia nenhum sentido, a não ser o de empobrecer os quadros das redações.

João Carlos Saad, conhecido como Johnny, preside o Grupo Bandeirantes de Comunicação

Nada contra o curso de jornalismo, que até deve ser aprimorado e ampliado. Em muitos países onde não há obrigatoriedade de diploma, as preferências para contratação vão para os jovens que se formarem em jornalismo. É opção das empresas, como acontece nos Estados Unidos. Mas nada deve impedir que se contratem também pessoas de outras áreas. É o que podemos fazer agora no Brasil, depois desta correta decisão do Supremo.

Muitas vezes, são mais indicados para trabalhar em determinadas áreas da redação profissionais vindos de cursos variados, como Sociologia, Economia e História, por exemplo. E as empresas, tendo liberdade para contratar, é claro que poderão organizar redações de melhor nível. Isso sem citar a questão básica  (de Direito mesmo) de que ninguém com formação em outras áreas deve ser proibido, em princípio, de exercer uma atividade como jornalismo.”

Um forte abraço,
Johnny Saad

Obs.: a posição do Grupo Bandeirantes de Comunicação segue na mesma linha das Organizações Globo e da maioria das empresas de rádio e TV do Brasil, a favor da histórica e polêmica decisão do Supremo Tribunal Federal, que determinou a queda da exigência de diploma para o trabalho de jornalista.

Pensamento:
“Você quer saber como está seu corpo hoje? Lembre-se do que pensou ontem.
Quer saber como estará seu corpo amanhã? Olhe seus pensamentos hoje,” Depaak Chopra, filosofo de reputação internacional.

FINAL, DOIS PONTOS:
1. Ouvindo rádios online, constata-se que o rádio ainda não sabe tirar proveito do grande poder da web e
2. Por que emissoras exclusivas nada de novo apresentam e as que retransmitem suas programações de AM ou de FM pela net o fazem sem acrescentar nenhum ingrediente para _cativar um novo público?

As homenagens a Michael Jackson acontecem em diferentes lugares do mundo. Em Regensdorf, cidade suíça, uma estátua de 12 metros de altura, pesando 4 toneladas, foi inaugurada sexta-feira, 3/07.

Os organizadores da homenagem esperam a visita de milhares de fãs e irão vender velas e rosas, além de colocar um livro de condolências à disposição do público. A estátua ficará exposta até o dia 5 de julho.

P.S.M. Post Script Musical evoca mais uma música de Michael Jackson, do início de sua carreira: Music and Me. A propósito, Michael  já superou em vendas de discos os grandes Elvis Presley e John Lennon no período pós-morte.

Em tempo
Deu na Folha de S. Paulo, edição de sábado (4/07):

Site vendia dados pessoais e sigilosos

Por apenas 25 reais mensais (mais valor variável por consulta), o inusitado portal vendia valiosas informações de personalidades, incluindo as de artistas, jogadores de futebol  e autoridades.

O site com o nome de AP Informação (www.apinformacao.com.br), que  funcionava na zona sul da capital paulista, foi fechado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de São Paulo. Oferecia e comercializava pela internet informações secretas de pessoas famosas e empresas importantes.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *