Ao Vivo: Estação Estácio

Publicado em: 05/06/2006

Em 2005 comecei a dar aulas de rádio na Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina, em São José, na Grande Florianópolis. Sentindo a necessidade de envolver os alunos do Curso de Jornalismo com teoria e prática, desenvolvi com eles o Estação Estácio.
Por Ricardo Medeiros

O programa de entrevistas de uma hora é feito em tempo real pelos acadêmicos da quinta e da sétima fase e é dividido em quatro blocos: dois de 14 minutos e dois de 13 minutos. Cada intervalo de 2 minutos é preenchido por material produzido pelo Curso de Publicidade e Propaganda.
Por decisão dos alunos, geralmente o entrevistado é ligado a meios de comunicação. Dentre os inúmeros convidados já participaram do Estação Estácio os jornalistas Lígia Gastaldi, Mário Motta, Hélio Costa, Luiz Carlos Prates e Roberto Alves, que na sua maioria atuam tanto em televisão como em rádio. Mas o programa já contou com entrevistados bem diversos. Os alunos trouxeram para debater o tema violência uma delegada de Polícia, Esther Fernanda Coelho. Igualmente trouxeram para ser sabatinado um casal gay, Kit Kitana e Léo Gonzaga, que falaram sem constrangimentos do seu relacionamento e preconceitos da sociedade com o casamento de pessoas do mesmo sexo. Também o programa reservou espaço para o músico Rô Conceição, da Banda Iriê.
O Estação Estácio vai ao ar a partir da segunda metade de cada semestre. Como primeiro ponto os alunos discutem quem será o entrevistado. Neste espírito, eles listam o nome de três a quatro possíveis convidados. Após decidirem o escolhido, o grupo planeja qual será o plano B caso o entrevistado eleito, por um motivo ou outro, não possa comparecer ao programa radiofônico. Na seqüência é feito o levantamento das questões a serem colocadas ao entrevistado. Um outro aluno é o encarregado de fazer a redação e gravar o perfil do entrevistado. 
Fica a critério dos acadêmicos apontarem quem serão os editores e redatores do programa, bem como os dois apresentadores. Há quem cuide também da gravação das vinhetas de abertura e encerramento e das de passagem e retorno.
 
Turma convidada
Entre outras tarefas existe o controlador de tempo dos blocos e uma pessoa que ficará encarregada de convidar uma ou duas turmas do Curso de Jornalismo para participarem do programa ao vivo. Essas turmas poderão fazer perguntas ao microfone ou por escrito sob o comando de dois acadêmicos da fase responsável pelo evento.
Mas as coisas não ficam por ai. O envolvimento de todos vai além. Existe o controlador de porta, para que não haja um entra sai arbitrário onde é realizada a entrevista, na sala de aula, colada ao estúdio. Cafezinho é bom? Sim. Café e água são providenciados pelos acadêmicos para os convidados.
    
No clima
Para que todos fiquem no clima jornalístico, no início do programa é dito a hora e a temperatura. A seguir é identificado o entrevistado e escutado a gravação do perfil dele. Depois são feitas as perguntas produzidas pela produção, intercaladas com as do público. Como regras ainda, no início e final de todos os blocos necessariamente sempre é dada a hora certa e lembrado com quem se está falando e sobre qual assunto.
Vejo que alguns estão bem confiantes Vejo também carinhas tensas. Após uma hora, surge o sorriso da vitória. Todos estão de parabéns. É o momento, então, de fazermos uma avaliação dos pontos positivos e de possíveis fragilidades que devem ser sanadas para o próximo Estação Estácio.
Alguns dos programas foram repassados para a Rádio Comunitária do Campeche, de Florianópolis, que deverá transmiti-los em breve. Vários do Estação Estácio podem ainda ser conferidos no Caros Ouvintes (www.carosouvintes.org.br). Além do áudio, o site conta como foi cada entrevista.


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *