Armageddon à vista

Publicado em: 29/01/2010

Semana passada o site de um jornal local informava que era “de tristeza o clima do velório dos militares mortos no Haiti”. Bela informação. Normalmente, clima de velório é de alegria. Outro site informava que está em curso uma pesquisa internacional que pretende descobrir porque os homens procuram as prostitutas. Há quem ache que homens procuram prostitutas para fazer tricô. Finalmente, Hugo Chavez disse que testes feitos pela marinha norte-americana causaram o terremoto no Haiti.

Isso tudo ainda não é nada. Tem muito mais no livro “Grandes radialistas e suas grandes gafes” e no outro que editei recentemente: “O grande livro de recortes”, com outras besteiras que o nosso pessoal da imprensa escrita comete.

Mas estúpido, mesmo, é o que se vê nas duas entradas do túnel que liga o centro de Florianópolis às praias do Sul da Ilha e ao Aeroporto.

Quatro armações fantásticas para segurar as placas. Não faço nem idéia do custo do material e mão de obra usada para a sua feitura. Mas a história de placas indicativas como essas já começam com o engenheiro ou arquiteto pra bolar as estruturas. As armações de ferro, o pessoal do departamento encarregado da medição do terreno, estudos ambientais, chefe de departamento de placas de sinalizações, transportes, pesquisa de mercado para obtenção de tudo o que for preciso comprar, dotação orçamentária, um mundo de pessoas envolvidas direta e indiretamente; uma parafernália formada por pessoal e coisas, ordens de serviço, cafezinhos e papel higiênico, sei mais o quê envolvendo o planejamento para se pendurar três placas indicativas em cada monumento, ao todo doze penduricalhos nas entradas do túnel. E os ordenados? Deixa pra lá.

Preste atenção: São três pistas adentrando o túnel e as placas indicativas indicam, porque este é o objetivo de placas indicativas, com seta e tudo o mais, lá estão as placas dizendo o seguinte:

PISTA DA DIREITA, PISTA CENTRAL E PISTA DA ESQUERDA.

Não tem como errar.

Pergunto: qual a utilidade das placas indicativas?

Naturalmente pra me dizer que a do centro, onde tem três pistas, é aquela que fica no meio. As outras, nas laterais.

Sem falar na Bandeira do Estado ali colocada.

Todo ano tem que ser substituída e o Prefeito levando pau quando a Bandeira fica esfarrapada. Tira de lá, homem!

Pergunto: qual a utilidade da bandeira no meio de uma pista, na entrada de um túnel dentro da cidade? Não é entrada de cidade: é na boca de um túnel no centro da cidade!
E nós pagamos, porque a nossa missão é somente essa: pagar para que alguém faça isso!

E pra finalizar, porque hoje é sexta-feira, e na sexta eu não trabalho: Que mistério é aqule nos ônibus da Insular?

Dou um doce se você entender a frase afixada no interior do ônibus:

Troco exato
Aos usuários que apresentarem para pagamento da passagem, moeda corrente inferior a 10 (dez) vezes o preço da tarifa, o troco exato está assegurado.

3 respostas
  1. maria lucia says:

    Prezado Sr.
    posso estar enganada, mas SMJ sua coluna inicia com uma citação da coluna do Fernando Albertch, sem citá-la.
    Atenciosamente, Maria Lucia

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *