As Dificuldades do Rádio Esportivo em SC

Publicado em: 16/09/2007

Deixando de lado os problemas do rádio e das rádios de hoje, quero lembrar um fato ocorrido durante o ano de 1965, quando ainda se disputava o Campeonato Catarinense. Nas finais de 64 – já em 65 – o GE Olímpico jogou sua última partida do primeiro turno (04.04.1965) contra o EC Internacional, no estádio Vidal Ramos Junior, em Lages.
Por Edemar Annuseck

Não tinha linha  (circuito de transmissão) para a Rádio Nereu Ramos transmitir o jogo. Lages liberava para as emissoras de rádio na época duas linhas para transmissão de futebol, e, com rodízio entre as rádios quando eram mais de duas da mesma cidade. Como em Blumenau eram três as emissoras que acompanhavam os clubes (Nereu, Clube e Alvorada), a Nereu teve que se virar de outra forma.
Evelásio Vieira (Lázinho) contatou o Ramiro Gregório da Silva, Diretor Superintendente da Rádio Cultura, para utilizar o transmissor de Ondas Curtas da emissora de Joinville. A Manchester Catarinense para nossa sorte não tinha representantes no quadrangular final.
As Rádios Cultura e a Eldorado de Criciúma, transmitiam de qualquer lugar com Transmissores de Ondas Curtas, pois a cia. telefônica não podia atender a todas as necessidades do rádio. E tinha ainda o problema dos jogos nos dias úteis no período vespertino; não tinha linha pra ninguém. Acertados os detalhes entre Lazinho e Ramiro, lá fomos nós para Lages, a bordo da Kombi – um show sem dúvida para aqueles anos – da Rádio Cultura de Joinville. Ramiro Gregório da Silva e esposa, Álvaro Correa e eu, seguimos na manhã de sábado para transmitir o jogo. Chegando a Lages, tomamos conhecimento de um problema gravíssimo que estava ocorrendo na cidade… não havia energia elétrica. Tinha havido um black-out e até os hospitais estavam passando por sérios problemas. E agora, como iríamos acionar o transmissor de Ondas Curtas, sem a energia elétrica.
Meu primo Harry Annuseck – já falecido – era o gerente das Lojas A Capital em Lages; recorremos a ele que nos colocou em contato com um engenheiro eletrônico, que lembrava muito o  Dr. Silvana das histórias em quadrinho -. Ele colocou a nossa disposição um exército de baterias (seis a oito) de carro ou caminhão,  que foram instaladas na Kombi da Rádio Cultura. Desde as primeiras horas da manhã o Ramiro já estava no estádio para instalar a antena e testar o transmissor. A Kombi ficou junto ao alambrado no estádio municipal de Lages, e do seu interior transmitimos o jogo. A recepção do sinal da transmissão em Blumenau foi feita pelo Jeder Reinert, conhecido como professor Pardal, irmão do Jeser Jossi e do Jener Reinert, radialistas da época. Graças a DEUS  conseguimos fazer a transmissão inteira. Deu tudo certo. E o jogo empolgante do começo ao fim, terminou com a vitória do GE Olímpico por três a dois.
Semana que vem tem mais !
 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *