As Pioneiras: Rádio Tubá de Tubarão

Publicado em: 24/05/2005

“Senhores comerciantes, fazei a propaganda de sua casa pelos nossos alto-falantes e estareis assim progredindo em seus negócios e auxiliando o progresso de Tubarão. Não esqueçam que a propaganda é a alma do negócio”.
Por Antunes Severo

O apelo insólito para a compreensão do leitor deste início de século XXI, por estranho que pareça, marca uma época real do rádio na cultura brasileira na década de 1940.

O texto faz parte de um folheto “que anunciava a  Empresa de Propaganda Tubá, nascida em 24 de novembro de 1946 em Tubarão”, como registram Ricardo Medeiros e Lúcia Helena Vieira no livro História do Rádio em Santa Catarina. Mas, há registros anteriores.


Galeria Willy Zumblick, na Unisul de Tuburão

Agilmar Machado, na 1ª parte do livro História da Comunicação no sul de Santa Catarina afirma “Uma estação de propagação de som para o perímetro urbano da cidade de Tubarão já existia em 1935, segundo registro constante na edição de 7 de novembro do mesmo ano do jornal A Imprensa”. A fundamentação de Agilmar, conforme cita, está baseada no fato de que “a mesma data da nota foi a dos 45 anos de elevação da vila de Tubarão à condição de cidade”. Complementa Agilmar Machado: “Cidade de Tubarão – por decreto de 7 de novembro de 1890, foi Tubarão elevado à categoria de cidade. Em homenagem a esta data, serão irradiados vários discursos pelo microfone da Rádio Esperança, do João Colaço, às 08h30 de hoje”.

Mas, quem foram os pioneiros que levaram essas experiências à criação da Rádio Tubá?

Ricardo e Lúcia Helena, respondem: “Como desbravadores da comunicação sonora, lá estavam Antônio Dácio de Farias – Diretor Técnico; Alcides Santos Nunes – Gerente; João Orlandi Corrêa -Tesoureiro; Edgar Cunha – Diretor Comercial; Edgar Lemos e Antônio Nuemberg – Diretores Fiscais. Na Junta Comercial a sociedade foi registrada quatro dias depois sob o nº 7.017, de 28 de novembro de 1946. No ano seguinte, com exceção de Alcides Santos, os demais davam um passo além, constituindo a Rádio Tubá Ltda, sob o registro na Junta Comercial nº 7.456, em 8 de maio.

Conforme relato de Agilmar Machado, Álvaro Bernardes, conhecido como o Catarina, foi o primeiro locutor da ZYO-9, Rádio Tubá de Tubarão, ainda quando a emissora transmitia em caráter experimental, em 1946.

A instalação da emissora só foi oficializada através da Portaria 640 de 26 de setembro de 1947, com publicação no Diário Oficial no dia 23 de outubro. A Tubá passou a operar com 100 watts de potência na freqüência de 730 Khz. No final da década de 40 deixaram a sociedade Antônio Nuemberg, João Orlandi Corrêa, Alcides Santos Nunes e Edgar Cunha.  Coube a Antônio Dácio de Farias e Edgar Lemos tocar a empresa, introduzindo um novo sócio nos negócios, Annes Gualberto. Em 1950 Antônio Dácio de Farias já não pertence mais aos quadros da emissora, que, na mesma época, atinge a potência de 250 watts e depois pula para 1000 watts em 1956.

Valmor Silva, em depoimento em junho de 1999, relembra que inicialmente a estação ia ao ar às nove horas e fechava ao meio dia. Voltava às 16h00 e fechava às 18 horas. E arremata: “Então eu comecei a dinamizar a programação. Tinha dia que eu almoçava junto ao microfone para não parar a rádio”. Nessa época faziam parte do quadro de funcionários Lício Silva, Humberto Fernandes Mendonça, Sinval Barreto, Álvaro Bernardes e Luís Lopes. Posteriormente também trabalharam na Rádio Tubá Walter Zumblick, Alfredo Silva, Tuta Silveira, Odery Ramos, Zuleide Fernandes, Paulinho Quaresma, Luiz Gonzaga, Leone Carvalho, Teléco, Luiz Colaço, Jurandir Jorge da Silva, Escovinha, Aderbal Lemos, Walmor Silva e Sinval Barreto.

A partir de 1959 a Diocese torna-se proprietária da Rádio Tubá, que passa a ser comandada pelos padres Raimundo Ghizoni, Manoel Sérgio da Silva Custódio e Névio Capeler. Com referência a essa mudança, Agilmar Machado, destaca que a Rádio Tubá “restringiu muitos de seus programas musicais populares e voltou suas atenções para o radiojornalismo”. Acrescentando que “isso ocorreu quando a Diocese de Tubarão adquiriu a emissora (…) que passou a ser supervisionada pelo então padre Osny Carlos Rosenbrock e dirigida por Ézio Lima”.

Agilmar Machado segue o seu relato, informando que a nova direção “para dinamizar o setor jornalístico compôs uma equipe altamente profissionalizada, com jornalistas vindos de Criciúma, Laguna e Araranguá que anos antes haviam estado juntos na Rádio Eldorado de Criciúma”.

Nessa equipe, além do próprio Agilmar Machado e do irmão Ataualpa Cesar Machado, estavam Ézio Lima como diretor e o estreante, recém formado em jornalismo em Porto Alegre, Osvaldo Della Giustina. Também foram mantidos na nova equipe os experientes Walmor Silva e Sinval Barreto no jornalismo esportivo e os principais locutores comerciais.

Fontes

– Ricardo Medeiros e Lúcia Helena Vieira. História do Rádio em Santa Catarina. Florianópolis: Insular, 1999.
– Agilmar Machado. História da comunicação no sul de Santa Catarina. – Criciúma: BTC Comunicação Ltda, 2000.

Links Relacionados

http://www.tubarao.sc.gov.br/hist.htm#radio
http://www.unisul.br/index.pfm?codpagina=00671


{moscomment}

1 responder
  1. Roberto Luiz dos Santos Vieira says:

    A Rádio Tubá de Tubarão é sem dúvida uma das mais importantes emissoras do nosso Estado.
    Grandes nomes do rádio catarinense já passaram pela Tubá. Entre eles, o meu querido pai, Luiz Lopes, radialista (já aposentado) que por mais de 25 anos apresentou o programa SHOW DO RÁDIO, líder de audiência na região da Amurel até hoje.
    Um abraço,
    Roberto Luiz.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *