As rádios e as igrejas

Publicado em: 23/02/2005

Em Joinville, assim como no restante do país, várias rádios têm sua programação voltada para alguma igreja. São religiões, seitas, em fim, vários credos que usam do microfone para “pregar a palavra”.
Por Ricardo Wegrzynovski, de JoinvilleNessa semana vamos conhecer um pouco de um dos programas com certa audiência e que trata com técnicas de rádio-jornalismo, as questões da igreja católica e itens de interesse geral. É o programa Diocese Informa, veiculado pela Rádio Difusora de Joinville, cujo apresentador e ex-seminarista Ademir Antônio Frohlich nos respondeu por e-mail as perguntas especialmente para o “Caros Ouvintes”.


Ademir Antônio e José Antônio, em pé Aldori Luís.
Fotógrafo: Odirlei Borgonha

Caros Ouvintes – O que é o programa?

Ademir Antônio – O “Diocese Informa”, como o próprio nome sugere, é um informativo da Igreja Católica que contempla desde notícias do Vaticano até notícias regionais e locais, de abrangência eclesial, sempre voltadas aos interesses do ouvinte. No entanto, o programa não se furta a noticiar e comentar temas polêmicos, tais como a substituição do bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia, dom Pedro Casaldáliga; a questão do aumento abusivo da cobrança da Taxa de Limpeza Urbana de Joinville, entre tantos outros.

C.A –  Para quem?

A.A.F. – O programa é dirigido a todas as pessoas que acompanham a caminhada da Igreja. O objetivo é que fiquem inteiradas das últimas notícias do papa; dos temas polêmicos que a Igreja enfrenta, como o uso de preservativos, o aborto dos bebês anencéfalos; o uso de células tronco em experiências científicas. Além disso, o ouvinte fica por dentro dos acontecimentos religiosos e eventos que acontecem no Brasil, na Diocese de Joinville e nas Paróquias, como, por exemplo, o encontro estadual das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s), que aconteceu em Criciúma no final do ano passado, e teve reportagem ao vivo da capital catarinense do carvão durante o programa. Outro evento foi a romaria da Diocese de Joinville para Aparecida do Norte, em julho de 2004. Também houve participação direta do Santuário de Aparecida, dando as informações sobre a romaria. Por outro lado, há uma agenda que fornece toda a programação de reuniões e eventos das Comarcas e da Diocese.

C.A – Quem faz?

A.A.F – O “Diocese Informa” é produzido e apresentado pela Pastoral da Comunicação da Comarca de Joinville. Os apresentadores, José Antônio, Aldori Luís e Ademir Antônio, são profissionais com experiência em rádio-jornalismo e fizeram o curso de dois anos na Escola de Comunicação da Diocese, em cuja grade curricular está inserida a oficina de rádio.

C.A – Quanto custa?

A.A.F – O custo mensal, meia-hora todos os sábados, está em torno de R$ 600,00.

C.A – Tem retorno de audiência? Como o pessoal se manifesta? Onde?

A.A.F – O programa tem audiência porque o horário é bom (meio-dia, todos os sábados) e, por se tratar de uma emissora católica, conta com um público cativo. Contudo, há pessoas de outras denominações religiosas que também nos ouvem. O retorno é mais perceptível quando se conversa com as pessoas das comunidades. Sempre tem alguém que ouve o programa. Muitos comentam notícias isoladas ou o que mais apreciam. Um dos quadros mais comentados é “A história da vida”. Outro dia fiz o comentário da missa na igreja matriz do Aventureiro e, após a celebração, uma pessoa me procurou para saber se era eu que fazia o “Diocese Informa”, pois achou minha voz parecida com a que ouvia no rádio. Apenas confirmei e agradeci a audiência.

C.A – Como funcionam os cursos de comunicação na igreja?

A.A.F – A Diocese de Joinville mantém uma Escola de Comunicação, que tem como objetivo criar canais e práticas de comunicação a serviço da ação evangelizadora e da cidadania, para que a Igreja seja promotora de agentes de comunicação e divulgadora dos projetos e da vida das comunidades, contribuindo com a democratização dos meios de comunicação. São dois anos de curso e a Escola oferece três laboratórios (oficinas) para os alunos: jornal, rádio e vídeo. Os alunos são preparados para atuar nos e com meios de comunicação, mas principalmente entre as Pastorais da Igreja, onde irão formar a Pastoral de Conjunto. Poucos são os que atuam nos meios de comunicação ditos comerciais. No entanto, percebe-se um avanço nos meios de comunicação da Igreja (informativos, jornais paroquiais, murais), além da melhora significativa nas celebrações litúrgicas (leituras, comentários). As aulas acontecem em um final de semana por mês (início sábado das 13h30 às 20h30 e domingo das 8h às 12h), durante dois anos,  com assessores experientes e qualificados nas matérias que ministram. A oficina de rádio, por exemplo, é ministrada por uma jornalista paranaense que trabalhou na Rádio Vaticano, em Roma, e é professora da Universidade Federal do Paraná de rádio-jornalismo.

C.A – Quantos que fizeram os cursos trabalham na área?

A.A.F – A Escola de Comunicação funciona desde 2000 e forma cerca de 70 alunos por ano.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *