BBC Londres e o jornalismo saudosista

Publicado em: 17/06/2007

No dia 14 passado fui brindado com uma importante experiência – conhecer a BBC em Londres. O grande conglomerado de mídia é dividido nos mais diversos setores, entre eles a BBC Brasil que fica no nono andar do edifício Bush House.
Por Ricardo Wegrzynovski

No interior do prédio da para dizer que o mundo está ali representado, pois são inúmeras as línguas das mais diferentes nacionalidades que você ouve com facilidade pelos corredores. Próximo a estação de Holborn, em Londres, no Bush House funcionam as redações e os estúdios de rádio da BBC.
Agora quem imagina o jornalista escrevendo sentado num bar, ao estilo boêmio, saudosista, com ares do início do século passado tem uma surpresa quando visita a BBC em Londres.
No térreo do Bush House fica o BBC Club. Trata-se de um bar refinado ao maior estilo londrino. É um Pub, com grandes mesas e sofás onde no final do expediente os jornalistas sentam para conversar e é claro, tomar alguns “paints” de cerveja. Bom, no cardápio também vinhos, uísque, porções e tal, como todo Pub Londrino.
 Interessante que o Pub da BBC é interno e restrito a funcionários e convidados. Abre logo pela manhã e o movimento maior é no final da tarde. As sextas-feiras o local fica praticamente lotado. “Era bem mais movimentado quando cheguei aqui, em 1996, hoje o movimento é menor, até porque tiraram as mesas de sinuca”, diz o editor da BBC Brasil, Ricardo Acampora. O BBC Club também tem uma academia de ginástica toda equipada.


Da esquerda para a direita Marcella Lazzarini, este jornalista,
Pablo Uchoa (repórter BBC) e Ricardo Acampora (editor BBC),
dentro da redação da BBC Brasil.

A visita a BBC foi como respirar história do jornalismo. Dá para sentir no ar as transmissões das guerras e dos principais acontecimentos mundiais. Quanto a equipe da BBC Brasil dá para dizer que é um pessoal muito receptivo. Fica aqui meu agradecimento a todos, pela acolhida na redação e é claro, pelas longas horas de bate papo no Pub da BBC.
Para saber sobre o trabalho da British Broadcasting Corporation – BBC, visite o site www.bbc.co.uk 
No link abaixo está disponível um resumo da história da BBC:
:: Clique aqui
Pablo Uchoa
O convite para a visita foi feito pelo jornalista Pablo Uchoa, que é nosso contato antes mesmo dessa peregrinação londrina. Uchoa é formado em jornalismo pela Universidade de São Paulo – Usp e é Mestrando em Política Latino-Americana no Institute for the Studies of the Americas, em Londres.
Uchoa trabalhou na Globo News e outros veículos de peso no Brasil, porém “pelo menos por enquanto”, afirmou que não pretende voltar: “Vejo que na BBC a gente publica assuntos que nem sempre são bem tratados ou têm o destaque devido no Brasil”, falou. Uchoa tem preferência por assuntos relacionados a “direitos humanos” e política internacional.

3 respostas
  1. programa says:

    aqui no brasil as tvs , incluindo a Globo , sendo ela tbm a Band , tbm sem falar da rede Record , elas so falam de mortes e horrores do brasil como se so existisse mortes e tal , e tbm como se no mundo so existisse o Brasil como Nacao no planeta e no universo ! essas tvs aqui do brasil sao na verdade todas preconseituosa com as pessoas la de fora e nao passa noticias internacionais e quando passa e so 15 ou 10 segundo se duracao ! Globo , Record e Band LIXO DO BRASIL A CAMINHO DA LIDERANCA DO VAZO SANITARIO !

  2. Diego Anderson says:

    A verdadeira redação brasileira da BBC foi aquela que transmitia em ondas curtas… aquele “22 horas em Londres, 19 horas, hora de Brasilia”, os boletins de notícias, comentários, os “iê iê iê na BBC”, os “posta restante”, os “livros e autores”, os “ciencia em foco” e tantos outros programas nas vozes de Jader de Oliveira, Marianna Zappert/Maxwell, Rubem Rocha, Sergio Brandão… esse era o verdadeiro sentido do que hoje é um grãozinho do que restou de um delicioso bolo. Quem teve a sorte de ouvir o Serviço Brasileiro da BBC conheceu realmente o que é rádio bem feito.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *