Bebedeiras e loucuras

Publicado em: 03/04/2014

Bem que a Marinete já estava cansada das bebedeiras do Josemar, m as o problema era ainda maior. O Josemar quando bebia ficava “macho”. Por várias vezes bateu na mulher. Interessante também que jamais se ouvira que Josemar tivesse sido violento dentro de um bar ou com policias nas ruas, típico desse tipo de “macho”. Dentro de casa, porém, se prevalecia com a mulher, e na frente dos filhos.

Certo dia Marinete tomou uma decisão. Primeiro tomou uma surra, depois a boa decisão. Denunciou o “ machão”, o agressor.

A polícia veio. Algemas, viatura e delegacia. O delegado, homem moreno, pelo menos 1,90, parecia um caminhão, disse ao Josemar:

– Tu gostas de bater em mulher é? É fácil não é? Tu vais pra sala ali do lado e vamos conversar a sós.

Marinete ouviu um policial dizer para outro:

– Esse tá lascado. Vai tomar uma lição que nem barata vai querer matar. Quanto mais bater na mulher.

Marinete pensou: “Meu Deu, o que vão fazer com o coitado? Ele só está de pileque”.

Teve uma repentina e infeliz ideia. Pensou que se fingisse um ataque de nervos desviaria a atenção dos policiais e o marido se livraria. Jogou-se ao chão. Deixou a saliva escorrer boca a fora. Debatia-se. Entortava-se.

Os policias se assustaram. O Josemar foi consultado sobre se sua mulher tinha algum problema de saúde. Ele, mais que esperto, saiu com essa:

– Pois então, era isso que eu estava tentando dizer todo o tempo para os senhores. Minha mulher é louca. Já vem se tratando há tampo, mas não temos um claro diagnóstico. Os médicos só sabem que sempre depois de um ataque desses ela inventa alguma história. Nunca toquei nela. Vejam em que situação essa pobre coitada quase me meteu.

Os policias a levaram até uma clínica especializada na região. No caminho ela bem que tentou dizer que era tudo fingimento seu, mas não convenceu. Ficou internada 12 dias. Pouco tempo depois o marido adoeceu e morreu. Só não se sabe se ela aprendeu a lição: Não se defende agressor covarde, muito menos se fingindo de louca.

Loucuras e bebedeiras têm de ser tratadas, mas a Marinete não deveria ter tolerado tanto tempo, muito menos se arrependido quando tomou a decisão certa. Isso sim foi loucura.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *