Blogueira cubana & PIB da Inglaterra

Publicado em: 09/01/2012

Ivaldino Tasca (*)

UM – Yoani Sánchez é a celebridade cubana de plantão. Os irmãos Castro não gostam dela. Metida a besta, ela insiste em querer dizer o que pensa, pegou a mania da tal de liberdade de expressão. Tenha a santa paciência, moça, imprensa livre é para regime burguês decadente, lhe dizem as autoridades; mas não tem jeito, é teimosa. Para os Castros, que administram Cuba como granja de tabaco (eu ia dizer prostíbulo, mas creio que isso ofende a brava e oprimida mulher cubana), ela é guerrilheira. Sua Sierra Maestra é a internet. Quem diria, hein, os donos de Cuba tremem diante de uma guria.

Por causa da teimosia da blogueira em divulgar a penúria do povo, o aumento da repressão sob comando de Raul, a continua violação dos direitos humanos no país, os Castros não concedem visto de saída para que ela visite o Brasil. Não é piada não, lá é assim: quem quer viajar e deseja voltar tem que se humilhar, pedir bexiga pros homens do Partido Comunista Cubano. Só recebe autorização para viajar quem diz amém ao sistema, quem tem padrinho dentro do governo ditatorial. Segundo o noticiário internacional Yoani Sánchez já tentou sair do país, sem sucesso, por 18 vezes.

No desespero, a tenaz jornalista apelou para a Dilma Rousseff. Ela espera que a presidente interfira junto ao governo cubano para que permita o passeio da moça. Esse é bom exemplo do realismo mágico do Garcia Márquez, que também adora Cuba: um regime decrépito consegue fazer balbúrdia internacional por causa da singela vontade de um cidadão visitar outro país. E tem quem adora a ditadura dos Castros. Fidel e Raul atingem o máximo: ali a utopia fede como carniça, o sonho de mundo melhor acabou no aterro sanitário, mas a cultura do atraso ainda alimenta ideais por estas bandas.

DOIS – Com absoluta certeza é melhor o Brasil ter um Produto Interno Bruto maior do que o da Inglaterra. Lógico que isso é bom, até para nosso ego, afinal, estamos falando da terra da rainha. Melhor do que termos um PIB menor do que o da Inglaterra. Agora, vamos devagar com o andor para não cairmos num ufanismo cego que pode comprometer nosso futuro. Entre as dezenas de dados que podemos arrolar para sopesar as duas situações me atenho a duas: população e renda per capita. Não vamos comparar IDH, educação básica, saúde publica, ciência, tecnologia, meio ambiente, corrupção, homicídios e outras coisinhas afins. Não vamos falar que ainda temos perto de 40 milhões de irmãos vivendo com o bolsa-família. Nem vamos falar em tamanho do território ou riquezas nacionais. Nossa intenção não é fazer pouco desse dado novo: nosso PIB é maior do que o da Inglaterra. E isso, repito, é bom.

Fiquemos, inicialmente, com população: temos 191 milhões de habitantes contra 51 milhões de ingleses. Ou seja, são necessários praticamente quatro brasileiros para fazer o que um inglês faz. Claro, se falarmos em Reino Unido dá uma diferença para menos, mas não altera a essência do fato. Vamos á renda per capita: a nossa é de 10.700 dólares por ano, a da Inglaterra é de 30.000 mil dólares.

A única coisa que eventualmente se poderia lamentar aqui entre nós (se fosse o caso) é que esses números foram obtidos porque FHC e Lula seguiram a cartilha neoliberal. Porém, quem sou eu para criticar isso se todos estão felizes…?Anotem ai: nosso futuro estará comprometido, logo adiante, se continuarmos tratando nossa educação básica com o jeitão atual; podem ter certeza que logo vamos patinar por que o suporte da nossa riqueza – produção primaria e matérias primas – tem seus limites…

Ivaldino Tasca, jornalista | [email protected]

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *