Blumenau retorna e encontra a colonia castigada pelas chuvas

Publicado em: 26/10/2009

Já falamos sobre Guilherme Fridenreich. Era um apaixonado pela natureza. Como tal, empolgou-se pela exuberância da selva do Itajaí. E como todo o amante da natureza, abraçou a nova terra com paixão, desde o primeiro momento, tornando-a sua segunda pátria. Fazia de tudo para transmitir ao Dr. Blumenau o conforto da sua solidariedade na difícil missão de colonizar. Já no início de fevereiro de 1851 deu início à construção de uma casa para sua família, dentro das exigências de conforto que a época e as condições permitiam. Tornou-se, juntamente com Reinhold Gaertner, um colaborador prestimoso e efetivo aos esforços do fundador.

Já no início de fevereiro de 1851 deu início à construção de uma casa para sua família, dentro das exigências de conforto que a época e as condições permitiam. Tornou-se, juntamente com Reinhold Gaertner, um colaborador prestimoso e efetivo aos esforços do fundador. O mês de março de 1851 foi, porém, catastrófico. Interferiu, assustadoramente, na vida daquela gente tão dedicada quanto esperançosa. Chuva torrencial provocou a primeira enchente local desde a chegada dos imigrantes. Era a primeira enchente do período colonial. Exatamente no dia 15 as águas transbordaram o leito, invadiram as plantações, causaram sérios danos ao engenho de serra e arrastaram rio abaixo quase toda a madeira serrada e já pronta para uso. O mundo parecia vir abaixo. A chuva forte e intermitente sobre a mata fechada causava efeito aterrorizador.

Dr. Blumenau chegou do Rio de Janeiro, para onde havia seguido por convocação da corte, no mês de julho. É fácil imaginar o ambiente que encontrou, as dificuldades que teve de contornar, os desgostos deixados pela enchente. Sofria mais do que ninguém aquela situação, sem contar os aborrecimentos com companheiros de empreitada menos pacientes, que lhe atribuíam a culpa pelos acontecimentos patrocinados pela natureza. Não bastassem os revezes já superados até ali, tinha agora uma nova componente contra a qual lutar, inclusive para demover os menos pacientes da idéia de retornarem à Alemanha.

No próximo capítulo: teria o Dr. Blumenau sucumbido?

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *