Bom exemplo

Publicado em: 13/01/2008

Um motorista de caminhão em São Paulo ganhou destaque nas páginas dos principais jornais do país, por ter devolvido 17 mil reais que encontrou num posto de abastecimento de combustíveis.
Por Jamur Junior

Casos como esse já foram registrados em Santa Catarina, no Paraná e outros estados.
Para alguns críticos o assunto não deveria merecer o destaque dado, uma vez que é obrigação da pessoa honesta devolver o dinheiro ou objeto encontrado e que não lhe pertence. Se por um lado à crítica pode ser aceita levando-se em conta que todo mundo deve ser honesto, por outro lado sabemos que não sendo assim, a divulgação serve como exemplo a ser seguido por quem não costuma se banhar com freqüência nas águas da honestidade.
Todos os bons exemplos deveriam ser destacados em todos os veículos de comunicação que, via de regra, abrem maiores espaços para o registro de crimes de toda espécie e para políticos desonestos que, apesar de serem minoria, estão sempre no noticiário graças ao esforço que fazem para ser cada vez mais o que são.
Na década de 60 muitas emissoras de rádio e televisão mantinham programas onde os valores morais e ações positivas de pessoas da comunidade eram enaltecidas.
José Wanderley Dias, um dos mais brilhantes jornalistas de seu tempo, produziu alguns programas que ficaram famosos, entre eles, Além do Dever e Honra ao Mérito.
No primeiro eram focalizados casos de pessoas que se dedicavam a alguma atividade em benefício do próximo.
Honra ao Mérito realçava figuras da sociedade que se destacavam por seu talento, criatividade, capacidade de realização e de superar dificuldades.
São apenas alguns exemplos que estão fazendo falta nos veículos de comunicação onde grandes espaços são destinados a falar do crime organizado e dos bandidos que lideram quadrilhas.
Os maiores exemplos que se vê nas telinhas são de malandros que “se dão bem” utilizando a Lei de Gerson, famosos que aprontam, tomam grandes porres, usam drogas e fica por isso mesmo como se fosse normal, ou políticos que ficam ricos da noite para o dia, como mágicos que fazem aparecer dinheiro na cartola e outros tantos que se dedicam ao vergonhosos esporte nacional de desviar verbas do governo. Assim, quando surge alguém que devolve o dinheiro encontrado pela rua, vira herói.
 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *