Cinema: ‘Ferrugem e Osso’

Publicado em: 15/09/2014

Como pessoas frustradas se comportam diante do amor? Esta é a questão central do mais recente filme do aclamado cineasta Jacques Audiard, “Ferrugem e Osso”, indicado à Palma de Ouro em Cannes em 2012. O diretor francês ficou famoso por trabalhos como “O Profeta” e “De tanto bater, meu coração parou”. Seu cinema é reconhecido principalmente por apresentar personagens que funcionam como anti-heróis, dotados por qualidades e também defeitos, consequentemente suas narrativas visuais acabam parecendo aos olhos do telespectador muito mais verossímeis.

ferrugemeosso

Em ‘Ferrugem e Osso’ acompanhamos a história de Ali (interpretado pelo ator Matthias Schoenaerts), o personagem é um boxeador que está desempregado e com um filho de 5 anos para criar sem a mulher, que os abandonou. Diante dessa situação, Ali vai morar com a irmã e logo arranja um emprego de segurança em uma boate. Em certa noite, Ali separa uma briga que ocorre em seu local de trabalho, é então que nos é apresentado a segunda personagem-chave do filme, Stephanie (interpretada pela atriz Marion Cotilard). Stephanie que estava envolvida na confusão acaba sendo atingida por um dos frequentadores da boate no nariz, logo Ali presta ajuda a mulher e se oferece para levá-la para casa. No caminho desta carona, o diretor francês expõe de forma crua a personalidade de seus dois personagens principais, Ali, um homem que fala tudo que vem em sua mente sem qualquer tipo de floreios; e Stephanie, uma mulher dotada por uma forte personalidade que não tem medo de enfrentamentos.

A partir desta carona, seguimos de forma separada os passos de nossos ‘anti-heróis’, até o momento que ocorre uma tragédia que faz com que esses dois personagens voltem a se encontrar e tenham definitivamente suas vidas entrelaçadas. Vale ressaltar a atuação de Marion Cotilard, que é simplesmente espetacular, tanto que o diretor Jacques Audiard tece elogios a ela: “Ela é jovem, mas madura. Tem autoridade. Ela é realmente bem presente. Marion interpreta com muita expressão. Suas expressões são muito fortes.”

“Ferrugem e Osso” é uma película física, crua, e ao mesmo tempo muito profunda, além disso, o filme levanta questões interessantíssimas para se refletir, como por exemplo: Quando decidimos ceder para tentar o amor? Em que momento se está ciente dos sentimentos para expressá-los? Em que medida nós podemos alterar o futuro quando compreendemos a vida como uma sequência de transformações?

Confira o trailer do filme:

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *