Com apoio da OMS, Brasil lança portal de combate ao uso do álcool

Publicado em: 11/12/2012

Mídia | Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.

País foi um dos quatro escolhidos para o lançamento da iniciativa; segundo agência da ONU, 2,5 milhões morrem por ano no mundo por conta dos efeitos nocivos das bebidas alcoólicas.

O Brasil lançou o portal Informálcool, com dados sobre os perigos do abuso do álcool e como combater o problema, que mata 2,5 milhões por ano em todo o mundo. O país é um dos quatro escolhidos para o projeto da Organização Mundial da Saúde, OMS, ao lado da Índia, México e Belarus. O site traz informações para profissionais da saúde e público em geral, como familiares e pacientes que sofrem com o alcoolismo. O usuário pode até fazer um teste e conhecer os riscos envolvidos na sua maneira de beber. 

A pesquisadora da Universidade Federal de São Paulo e coordenadora da iniciativa no Brasil, Maria Lúcia Formigoni, explicou à Rádio ONU, de São Paulo, que o portal traz uma ajuda especial aos dependentes da bebida. “Caindo na faixa de uso de risco, a pessoa será convidada a participar deste programa pela internet, que é o programa Beber Menos. O que nós pretendemos é aumentar a consciência da pessoa a respeito do seu uso de álcool.

Ela será convidada a fazer uma monitorização do seu uso, a pensar a respeito das situações de risco ao fazer um uso abusivo do álcool. E é feita uma proposta de uma meta de redução ou de parar completamente o consumo de álcool.”

Custos

Maria Lúcia Formigoni lembra que até pessoas que bebem eventualmente podem colocar a sua vida e a de outras em risco, como por exemplo, ao dirigir sob efeito do álcool. Segundo a pesquisadora da Unifesp, 12% da população adulta mundial chega à dependência.

A OMS destaca o crescimento de pesquisas sobre auto-ajuda online para dependentes do álcool, que pode ser tão eficaz quanto terapias tradicionais, além de ter custos vantajosos. O projeto nos quatro países foi financiado pelo governo da Holanda.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *