Cultura AM de Joinville: 50 anos de bom rádio

Publicado em: 10/08/2009
José Eli Francisco, Ramiro Gregório da Silva, Ana Paula Schmidt Mello, Wilson França, Bruno França, Silvano Silva, Rubens Greiffo, JB Telles, Osvaldo David Agra Filho, José de Mira, Osni Martins, Léo César, Sérgio Alves e Acácio Martins. Foto Iran Correia.

Entre o vereador James Schroeder, autor da proposta de homenagem e homenageados, convidados especiais, maioria ex-radialistas que aturam na Rádio Cultura de Joinville: José Eli Francisco, Ramiro Gregório da Silva, Ana Paula Schmidt Mello, Wilson França, Bruno França, Silvano Silva, Rubens Greiffo, JB Telles, Osvaldo David Agra Filho, José de Mira, Osni Martins, Léo César, Sérgio Alves e Acácio Martins. Foto Iran Correia.

O cinqüentenário da Rádio Cultura AM de Joinville foi comemorado com uma sessão solene da Câmara de Vereadores da Cidade na quarta-feira, 29/6. Foram também homenageados os radialistas Ramiro Gregório da Silva, primeiro gerente da emissora e José Eli Francisco, atual presidente do Sindicato de Radialistas da região Norte de Santa Catarina.

“A Rádio Cultura firmou sua posição na sociedade por empunhar bandeiras e enfrentar desafios ao demonstrar uma grande unidade de ação, entrando por isso para sempre na história desta cidade e de toda uma região pelo trabalho honesto dos seus colaboradores,” disse José Eli Francisco falando em nome dos agraciados e dos atuais funcionários da emissora.

A rádio Cultura continuou Eli Francisco, “deu um hino à cidade, salvou um hospital que naufragava no mar das dívidas. Escreveu livros, fez campanhas filantrópicas e fez transmissões nacionais e internacionais – como há 40 anos – ao transmitir o lançamento da Apolo 11”. E prosseguiu: “Igual uma família que completa meio século – ou seja, duas gerações – plantou sementes em terá fértil fazendo com que jovens, alguns até adolescentes, seguissem o seu destino. Muitos se formaram em direito, alguns são vereadores, deputados, empresários de sucesso (…) um deles presidente do Tribunal de Contas de Santa Catarina. Outros são cronistas esportivos, de Santa Catarina e do Brasil, diretores da Abert e da Federação Nacional dos Empregados em Rádio e Televisão; cidadãos honorários pela Câmara de Vereadores de Joinville ou homenageados pela Assembléia Legislativa do Estado. Além dos excelentes radialistas um deles chegou a ter renome nacional atuando em novelas, no cinema e no teatro. Mas, nenhum deles chegou a suplantar os feitos do fundador da emissora – Jota Gonçalves – a começar pelo fato de ter sido ele que acendeu a primeira chama a dar origem a emissora que hoje está sendo homenageada”.

Também homenageada, a empresária Ana Paula Mello, atual diretora destacou a que a emissora além do lazer e da informação se preocupa com integração da comunidade.  “Sinto orgulho de dar continuidade ao trabalho de meu pai (Rubens Mello). A homenagem dos 50 anos é gratificante e fundamental para concretizar o esforço de todos que integram a nossa história”, finalizou Ana Paula.

3 respostas
  1. J.Pimentel says:

    Quero também homenagear a Rádio Cultura de Joinville, sempre à frente das comunicações em Santa Catarina. Programação de qualidade, bons comunicadores e compromisso com a comunidade. Trabalhei em Joinville para as concorrentes à época, Rádios Colón e Difusora, quando Ramiro Gregório da Silva era seu diretor e pude acompanhar tudo isso de perto. Parabéns

  2. José Eli francisco says:

    Deixei de citar nomes no meu discurso de agradecimentos na CVJ porque poderia esquecer de alguns , mas permita-me destacar neste espaço agradecendo primeiramente ao amigo Antunes Severo pela homenagem , dentre tantos , Salomão Ribas Junior (que de locutor da RC chegou à presidência do Tribunal de Contas ) e Fausto Rocha Junior ( fez rádio , teatro e televisão) contracenando com Paulo Autran , Fernanda Montenegro , José Wilker , Irene Ravache . Diria que depois de Juarez Machado foi ele quem mais promoveu Joinville no mundo das artes – o mais completo . O Ramiro foi meu diretor e modernizou o rádio catarinense com seu dinamismo e liderança . Ao inesquecivel ‘Zininho” pelo Hino de Joinville e tantas outras vinhetas famosas que ainda hoje são cantadas em versos e prosas “RC é a namorada desta capital florida …….” RC – A Namorada da Cidade …Uma amor para toda a vida ” – José Eli Francisco .

  3. J.B.Telles says:

    Realmente foi uma homenagem marcante. Um reconhecimento aos que ajudaram a Cultura a ser não apenas a “namorada da cidade” como uma das principais emissoras de Santa Catarina. No campo esportivo – do qual fiz parte – a Cultura inovou em 1969 transmitindo as eliminatórias para a Copa do Mundo de 1970. Tive o privilégio de ser repórter no jogo de maior público do Maracanã – 183.341 pessoas – no jogo Brasil 1 x 0 Paraguai, com a transmissão do Ney Botto Guimarães. Integrar a Seleção RC – uma equipe esportiva de alta qualidade – sob o comando do Pedro Lopes e do Ramiro Gregório da Silva, foi um importante escola que tive no rádio.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *