Dia do radioamador

Publicado em: 11/11/2007

A data de 22 de outubro era festejada como o dia do Radioamador Brasileiro em virtude de que, nessa data, em 1934, fora realizada a sessão da assembléia geral dos radioamadores paulistas e cariocas, fundindo as duas entidades que existiam, transformando-as na LABRE – Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão.
Por Amauri Toccolini Felski

Posteriormente, fixou-se a data de cinco de novembro, a razão desta mudança, foi que no ano de 1924, o Diário Oficial da União publicara o Decreto de nº. 16.657, regulamentando as estações de radioamadores existentes no Brasil, e, até então, consideradas como clandestinas. O referido decreto foi baixado tendo em vista a representação feita no ano de 1923, pela Academia Brasileira de Ciências, reconhecendo a existência do radioamadorismo no Brasil, tirando-o da clandestinidade.
O radioamadorismo é responsável, desde o seu início, por importantes descobertas ligadas à humanidade. Foi graças à colaboração prestada por radioamadores que se consolidou, por exemplo, a utilização do código Morse nos primeiros anos de telegrafia sem fio, ou que se conheceu o comportamento dos sinais de rádio freqüência de ondas curtas.
O mesmo aconteceu com o pioneirismo dos radioamadores na exploração das freqüências de VHF e UHF, no ensaio de novos tipos de antenas e no estudo dos fenômenos de propagação.
Também foram os primeiros a projetar praticamente os equipamentos de transmissão e recepção, empregando válvulas à vácuo, bem como no auxilio ao desenvolvimento de novas técnicas de transmissão, como o SSB, hoje de utilização rotineira nas comunicações a médias e longas distâncias.
Pouca gente sabe, mas os radioamadores foram igualmente pioneiros na utilização de satélites artificiais de comunicação, lançando, em 12 de dezembro de 1961, o OSCAR 1, que foi o primeiro satélite para radioamadores lançado no mundo, havendo emitido 18 dias. O satélite regressou a Terra no dia 31 de janeiro de 1962.
Também os radioamadores lançaram o OSCAR 3, no dia 09 de março de 1965, várias semanas antes do EARLY BIRD, o primeiro satélite comercial.
Atualmente satélites construídos e operados por radioamadores de vários países, encontram-se em funcionamento no espaço.
O radioamadorismo tem sido um verdadeiro laboratório de idéias e um campo de provas para quase todos os grandes projetos técnicos e operacionais no campo da radiocomunicação.
O radioamadorismo, desde o princípio, ganhou destacada reputação por facilitar as comunicações durante as emergências, ou quando ou outros meios falham ou estão sobrecarregados.
Os anais da história do radioamadorismo contêm impressionante relatório das várias emergências, catástrofes, epidemias e tantos outros fatos, nos quais os radioamadores, com habilidade e devoção e, até mesmo com o sacrifício pessoal, serviram às suas comunidades e trouxeram recursos rápidos àqueles que necessitavam.
Em 05 de novembro de 1924, ou seja, exatamente há oitenta e três anos passados, o Governo Brasileiro pelo decreto n 16.657, que passou a legislar sobre o Serviço de radioamadorismo, reconhece o radioamadorismo, tirando da clandestinidade os seus praticantes e obrigando-os a submeter-se a exames para obter a licença.
Os primeiros exames foram realizados pelo antigo Departamento de Correios e Telégrafos em janeiro de 1925, no Rio de Janeiro, e em fevereiro de 1926, em São Paulo.
Os tempos passam, as ciências evoluem, mas os radioamadores continuam a ser aqueles experimentadores científicos e de suas atividades novos inventos vem trazer melhorias para a humanidade.
O correio eletrônico da Internet de hoje nada mais é que uma decorrência das rudimentares estações de “packet radio”, ou simplesmente estações de rádio pacote.
Muitos gostam de afirmar que a evolução da informática fez diminuir o desenvolvimento do radioamadorismo, não somos seguidores desta afirmativa, muito pelo contrário, aceitamos dizer que esta evolução veio complementar a atividade radioamadorística.
Radioamadorismo é Ciência, Esporte e Cultura
Ciência: pelos constantes estudos, experimentos e pesquisas dos seus praticantes e, principalmente, pela difusão ininterrupta e constante de seus resultados no nosso próprio meio e mesmo no mundo cientifico.
Esporte: pelas diversas competições existentes, seja em âmbito municipal, estadual, nacional ou internacional, ocasião em que se confrontam esportiva e lealmente indivíduos de todas as camadas sociais e profissionais das sociedades nacional e internacional. Não se espantem se em breve o radioamadorismo vier a se constituir em uma das modalidades olímpicas.
Cultura: pela troca constante de informações das mais diversas naturezas entre seus praticantes, sem, contudo serem abordados assuntos religiosos, políticos e comercias, salutar entretenimento em que fala sobre a sua localidade (bairro, município, região e país), sua gente, seus costumes, sua língua, seus divertimentos, seus monumentos, seus fatos históricos, sendo que no passado, juntamente com sua co-irmã portuguesa, a Rede de Emissores Portugueses – REP, a LABRE instituiu um maravilhoso diploma comemorativo dos 500 anos do Descobrimento do Brasil, com a colaboração do Senado Brasileiro.
Grandes dificuldades foram atenuadas e milhares de vidas e propriedades valiosas foram salvas pelo seu esforço.
Os radioamadores consideram essa assistência um DEVER e estão sempre prontos para SERVIR à humanidade.
Salve 05 de novembro. Salve o BRASIL. Salve a LABRE. Salve os radioamadores brasileiros. Assim se expressam os antigos radioamadores ao término de suas transmissões.
Amauri Toccolini Felski – PP5BB, com este artigo cumprimenta todos os radioamadores brasileiros em nome da LABRE-SC.
Matéria enviada por Wilian da rádio Legal.
Site relacionado: http://www.radioamador.com/
 


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *