Dramas da maternidade na prisão

Publicado em: 06/12/2005

“Dramas da Maternidade na Prisão”. Este é o tema do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) das acadêmicas do curso de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina Adriane Michela Ferreira e Andréa Cristina Malescheski.
Da redação

Trata-se de uma grande reportagem em rádio sobre a maternidade no Presídio Feminino de Florianópolis, sob a orientação do jornalista e professor Ricardo Medeiros. As alunas, aprovadas no último dia 28 de novembro com nota máxima, abordaram o dia-a-dia das mães detentas e a dor de terem de se separar dos filhos.

Em agosto deste ano, o presídio contava com 114 presas, das quais 90% eram mães. Na ocasião, 11 mulheres estavam grávidas e a casa de detenção possuía três bebês no berçário.
Para a realização da grande reportagem, que tem 18 minutos, as acadêmicas entrevistaram 15 detentas e a filha de uma apenada, condenada por homicídio. Também foram ouvidos a diretora do presídio, Maria Oriuella; a psicóloga da instituição, Eliamara Machado; e o diretor do Departamento de Administração Prisional da Secretaria de Segurança Pública, Carlos Roberto dos Santos.

O sistema carcerário no Brasil enfrenta uma série de dificuldades como a superpopulação, a falta de assistência médica e social e outras irregularidades. Nos dois meses que conviveram com as apenadas, Adriane e Andréa constataram que no presídio feminino da Capital catarinense a situação não é diferente do restante do país. O cárcere, que abriga as 114 presas, deveria receber apenas 80 pessoas. Além disso, algumas gestantes, que pela Lei de Execução Penal têm a garantia de permanecerem num lugar apropriado, vivem em celas comuns, junto das outras presas, por falta de espaço. As apenadas não têm também à disposição um assistente social e o atendimento médico e de enfermagem dependem de voluntários. Por sua vez, a lei prevê todo esse tipo de serviço para as unidades com mais de 100 presos.
Acompanhe em áudio pelo Caros Ouvintes “Dramas da Maternidade na Prisão”, uma grande reportagem em rádio.

:: Clique aqui


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *