É estranho e triste para mim

Publicado em: 23/03/2008

É estranho e triste para mim, que em 1996 fui à sede da PRB-2 para fechar com chave-de-ouro um curso de locução e abrir as portas de minha carreira como radialista.
Por Eddie Voccaccy*  
Era o último dia de curso e levados pelo professor Mauro Edison Carriel, participaríamos do programa de nosso colega e hoje amigo, Claudio Ribeiro.  Eu sabia que se queria levar a sério a vocação de radialista, a Rádio Clube era o meu templo.
Então, fiquei com aquela primeira noite na B-2 sempre em mente. Agora , em março de 2008, fazendo um curso profissional de audiovisual, tenho a chance de voltar a 1ª Rádio do Paraná para uma pesquisa sobre a ‘Era de Ouro do Rádio’ e escolhi fazê-lo contando a história da 3ª Rádio do país e das primeiras, a única em atividade.
Triste fico quando recordo de um dia 19 de dezembro, em que convidado pelas autoridades presentes apresentei-me na Praça 19, participando  da festa de Emancipação Política do Paraná. Lá, durante a transmissão ao vivo da Rádio Educativa, Ribeiro lembrou daquela noite na B2 e comentamos como era gratificante poder mostrar ao povo paranaense a importância da data 19 de dezembro.
Xenofobismos ou bairrismos à parte, precisávamos lembrar que temos algumas instituições que nos trazem identificação. Assim, desta forma, nos referíamos a Rádio Clube como uma instituição do povo paranaense. Agora, como artista e radialista, devo perguntar aos senhores:
Se os 84 anos de atividade, contando a história do Paraná e fazendo parte da cultura local não for o suficiente, devemos lembrar como foi levantada e por que ainda existia a Rádio Clube? Como terminará meu trabalho sobre a História do Rádio, se ela não existe mais?
Pelo menos não em espírito…
*O autor é Produtor Musical & Audiovisual em Curitiba. [email protected]


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *