E o bonitão aí…

Publicado em: 12/06/2014

Juvenal, pintor profissional, dava duro ao lado da mulher Glória para sustentar os 5 filhos.

A mulher vivia reclamando a sorte na vida, ou quem sabe a falta de sorte. Filhos de ,4, 6, 8, 10 e 12 anos. O que ela e o

Juvenal ganhavam só dava para o básico.

Juvenal estava na empresa de pintura havia uns 2 anos. Naquele dia o serviço era num prédio muito alto, 15 andares.

Cada vez que Juvenal precisava subir no “jaú”, aquele negócio tipo um cesto bem grande, ficava com medo e pensava na família. Como ficariam aqueles coitados se um dia ele viesse a “faltar”? Mas tinha fé que nada aconteceria. A Glória seguia a “luta”. Jornada tripla. Emprego, casa, filhos. Tripla coisa nenhuma, ainda tinha o Juvenal, que às vezes para aliviar o estresse tomava alguns goles de cachaça antes de chegar em casa.

Bem, mas lá estava Juvenal, diante o prédio de 15 andares. Logo que entrou no jaú a uma altura de uns 30 metros, Juvenal sentiu uma forte dor de barriga. Pediu, por favor, aos amigos que o deixassem descer. Estavam pintando o prédio, havia moradores, alguém haveria de ser compreensível. A primeira porta que bateu uma senhora atendeu. Juvenal explicou sua situação e a senhora gentilmente lhe apontou o caminho do banheiro. Juvenal entrou, sentou e relaxou. De repente, um forte estrondo. Coisa terrível. O jaú despencou. Os dois amigos se foram.

Juvenal sentia pena dos amigos e alívio por ele e pela família, estava vivo, e isso era o que importava.
Dia seguinte, no funeral, Glória está ao lado do Juvenal. Havia pedido dispensa do serviço a pedido do marido para prestar o respeito pelas viúvas.

Juvenal imaginava a emoção da esposa de tê-lo vivo firme e forte ao seu lado.

O patrão, homem muito rico e conhecido por sua bondade começa um emocionado discurso:

– Lamentável é pouco para expressar os sentimentos por essa tragédia. Perdemos dois grandes homens, dois ótimos profissionais. Não tenho muitas palavras para consolar as famílias, mas posso afirmar perante todos: Além dos direitos legais cada viúva receberá por minha conta 1 milhão de reais. Ainda quero que saibam que seus filhos terão seus estudos por minha conta, de agora até a conclusão da faculdade que escolherem. E também vou dar uma casa nova e um carro para cada família dessa terrível tragédia.

Nesse instante, Glória, espantada com o discurso do chefe do marido lhe dá uma leve cotovelada e olhando para Juvenal, diz:

– E o bonitão aí no banheiro…

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *