Edouard – a grandeza de sair vitorioso

Publicado em: 16/08/2013

Em Eduardo, três dias da eternidade – a autora Rosa DeSouza, revela verdade e sensibilidade, despertando um desejo quase incontrolável de chegarmos ao fim da história, desejando, por vontade própria ou não, fazer parte dela. Uma lição de amor, de vida, de humanidade.

Edouard é um ser que se aproxima, cresce e vai ocupando todos os espaços, sejam eles intelectuais, físicos ou emocionais, levando-nos além dos sentidos. Do mesmo modo que preenche, deixa o vazio. Cada momento é único, vasto, etéreo e infinito, dentro de um tempo sem tempo. Ele é apaixonante e mistério que se desvenda aos poucos, tanto no diálogo, quanto no silêncio. Atinge o fantástico na procura do real num carinhoso abraço de desapego. A fantasia da menina castelã, proporciona uma descrição esclarecedora, a qual, sem ter tido esse formato, não poderia compensar o horror da realidade dessa experiência de vida, narrada em uma metáfora de profunda expressão psicológica.

Este mundo, real e imaginário do amor, é descrito por meio da magia das letras que entrelaçam prosa e poesia de uma maneira magnífica. Ainda que sejamos temerosos, aprendemos que sempre ganhamos quando nos entregamos à vulnerabilidade desse imutável sentimento. No entanto, o que esta obra nos ensina não é apenas a coragem da entrega, mas a grandeza de sair vitorioso do que para muitos poderia ter sido um naufrágio.

A autora vai recepcionar seus convidados na Livraria Catarinense do Beiramar Shopping em Florianópolis/SC com um coquetel acompanhado pela violonista americana Alexa Whiting da Orquestra Filarmônica de Las Vegas, na sexta-feira, a partir das 19h30. (Colaborou Aguinaldo Filho)

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *