Edwin Scott Balster derrama as bolachas na escada

Publicado em: 16/09/2012

Memória | Capítulo 19 | Obediência | Rádio Clube Paranaense

Os discos antigos eram facilmente quebráveis e a Rádio Clube Paranaense, lá pelos anos 1950, tinha uma discoteca enorme cuidada com muito zelo. O discotecário selecionava as gravações para cada programa separadamente e levava ao operador de som com as respectivas relações: uma via para o operador e outra para o locutor. Para fazer isso, tinha que atravessar todo o auditório ou então subir uma escada, no andar de cima passar por um grande corredor, descer e ir à sala do operador passando por trás do palco.

Edwin Scott Balster, grande profissional e um dos mais antigos discotecários da veterana Bedois, para não ter que andar muito juntava as gravações para diversos programas e levava numa só viagem aquela enorme e pesada pilha de discos.

Isso era feito contra a vontade do gerente Jacinto Cunha que já o advertira sobre o perigo de quebrar algum disco. Um dia, mesmo proibido, Edwin voltou a levar aquele peso enorme, confiante de que ninguém o veria. Errou o pulo. Jacinto estava na sala do Eolo Cesar de Oliveira, logo no início do caminho e em frente à discoteca, flagrando o infrator. E foi aquela bronca!

– Eu já disse pra você que deve levar aos poucos. Não quero que carregue essa quantidade enorme. Você não vê que pode quebrar algum disco?

E então, ante o estático e assustado Edwin, bradou:

– Largue já esses discos!

E o Edwin largou. Simplesmente largou. Dizem que da pilha inteira sobraram poucos. Nunca ele havia sido tão obediente… e tão destruidor.

O Edwin mais tarde foi residir em Florianópolis, para onde se transferiram diversos radialistas de grande valor que haviam atuado em emissoras de Curitiba.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *