Emílio Cerri, Baloo e Akelá que meus lobinhos adoravam

Publicado em: 26/05/2012

Tributo ao chefe escoteiro do mar Paulo Roberto Guimarães

Imagens e sons que não se perdem nunca, não me trazem saudades, mas satisfação. Satisfação de pensar que vivi e respirei no mesmo mundo e o mesmo ar, embora por raros momentos, com criaturas muito especiais. Ter Emílio Cerri,  hoje um dos profissionais mais respeitados da grande mídia, como companheiro e irmão, no Movimento Escoteiro do Mar foi um privilégio que poucos tiveram ou terão. Ainda agora, passar pela Avenida Rio Branco, quase confluência com a Avenida Osmar Cunha, é voltar ao dia em que no retorno de uma velejada e boas remadas às Ilhas Guarás, fui recebido com o carinho dos pais do grande Akelá, pois que eu estava em estado de choque com uma forte ameaça de insolação.

A mãe do Emílio e seus familiares, deram a este humilde menino da época, toda assistência e procedimentos caseiros para minorar os efeitos e os sintomas de insolação.

Eu, um pelo duro e Ilhéu nascido e vivido dentro das águas salgadas, das Baías Norte e Sul, com sol violento no cocuruto, dei uma de semi desmaio, logo na casa do Emílio. Ainda bem que o garoto Emílio já revelava o porte herdado do pai e da mãe, que hoje me faz lembrar a figura tal e qual Rudyard Kipling plasmou em seu livro: Mogli – O menino e o lobo. Akelá Emílio, feições afetuosas e gentis, leal e bondoso, formou a primeira alcateia de lobinhos do mar.

Foi a cerimônia de promessa (ritual de passagem) mais emocionante que presidi como Chefe de Grupo.

Emílio, no papel de Baloo e depois como Akelá deixou uma obra humana e exemplar inigualável. Hoje, ele passado dos sessenta e eu dos setenta anos, quando rememoro o escotismo daqueles dias continuo com a certeza: este homem que construiu seu próprio caminho, foi e é um símbolo que dificilmente pode ser igualado.

O melhor possível Akelá Emílio Cerri!

7 respostas
  1. Emílio Cerri says:

    Este post me escapou e só agora o encontrei. Eno “Feijão” quase provoca meu segundo enfarte:)) Agradeço pessoalmente e pela minha família as palavras gentis e o afeto. Jamais esquecerei aqueles dias na rua Bocaiuva. Nunca tirarei do melhor lugar da minha memória os meus chefes Feijão e Pedro. E os meus lobinhos. Aquilo era realmente viver!

    PS Contam-me que existe em um o álbum de família uma foto daquele tempo. Se encontrar, juro que envio.

  2. ENO JOSÉ TAVARES says:

    Dava gosto e compensava ter tanta responsabilidade nas costas. De encarar aquelas atividades de sede ou os bivaques e acantonamentos anuais com nossos lobinhos. A criatividade daquelas figurinhas de nove ou dez anos… O interesse que tinham pela leitura do que caia sob seus olhos. Liam o que tínhamos de literatura escoteira, liam revistas em quadrinhos onde o Tio Patinhas e seus sobrinhos escoterinhos que quase matavam o velhote pão duro em seus entreveros. As reuniões de Matilhas eram autênticos encontros de pequenos bruxinhos… As reuniões de Alcatéia, verdadeiro rebuliço organizado diante do Akelá com a eterna fisionomia de velho lobo bonachão. E aí apareciam os talentos que surpreendiam as próprias mães que acompanhavam as atividades dos seus pequenos. E que muitas vezes comentavam embevecidas: “Só um Emilio assim é quem pode conduzir essas ferinhas e fazê-las trabalhar como se fosse a mais apetitosa das brincadeiras.

  3. ENO JOSÉ TAVARES says:

    A caverna é hoje um prédio, a matilha dispersou-se pelos campos da vida e o Akelá já é avô. Achar um alfinete em uma duna da Lagoa da Conceição é mais fácil do que nos acharmos: escoteiros, lobinhos, seniores, pioneiros e membros do staff. Essa Ilha Encantada é assim mesmo… Esconde os nativos diante da avalanche de forasteiros.
    Nossa velha sede – o Casarão 69, na Rua Bocaiúva, agora é um prédio enorme… A Caverna dos Lobinhos… Os Cantos de Patrulha e o Salão que às vezes era da Chefia (staff), estão ransformados no Grande Espigão da Cidade dos Homens…
    Vez ou outra ainda ouço um “E daí Feijão?” Olho estarrecido para aquele quase sessentão e escarafuncho na memoria… E então recorro à velha tática de véinho caquético: “Desculpa irmão, mas o Avc enfartô”…

  4. ENO JOSÉ TAVARES says:

    Será que o menino do arroio Itapevi que a linda Ana Lavratti retratou em livro era uma espécie de Mogli? Que histórias escreveram as Estrelas Gaudérias, no destino daquele pixote de estância que virou mundo à moda dos menestréis e reuniu em torno de si uma troupe de artistas da comunicação? E quem teria sido seu primeiro Baloo e Eterno Akelá? Caro irmão Emílio, Não estarei ai por razões óbvias e por um impedimento físico não mortal, mas que impede minha mobilidade – logo eu tão proativo, imagina tu. Curte irmão que esse “vernissage” também é teu. Irmão Feijão.

  5. eno josé tavares says:

    A GRANDEZA DE UM POVO, ESTÁ EXATAMENTE NESSE POVO

    feliz do cantinho no mundo,que recebe carinhosamente os peregrinos.Essa Ilha Encantada,recebeu tantas figuras maravilhosas,como PEDRO AGOSTINHO DA SILVA E SEUS FAMILIARES,oriundos de um Portugal e uma Espanha,sob a infâmia de ditaduras ferozes e assassinas…um EMÍLIO CERRI SEUS PAIS E IRMÃ,oriundos de terras catarinas mas com toneladas e toneladas de talentos variados…um ANTUNES SEVERO… que aquí aumentou suas peregrinações, pelos mundos das artes das mídias,e,aquí fez surgiu uma família…E ANINHA LAVRATTI-que descobriu um EURIDES…ANTUNES E SEVERO…trancafiou em um livro de biografia autorizada,tudo aquilo que esse MODERNO MENESTREL,inquieto e buliçoso, viveu e vive…Nada mais que a verdade:A GRANDEZA DE UM POVO, ESTÁ EXATAMENTE NESSE POVO…O livro”MENINO DO ITAPEVÍ”,é extamente assim…narra em un cantinho gostoso dessa terrinha insular,a presença de um eterno menino,que fez do seu mundo a sua história gostosa de conhecer…Paz,segurança e felicidade para nossa Ilha Encantada,que agora também agasalha alguns maléficos seres,que invadiram nossos viveres mágicos.VAI PASSAR!

  6. eno josé tavares says:

    NOSSA JUNGLE FOI INVADIDA PELOS HOMENS MAUS E DOMINADA PELO MEDO:REAGIR É PRECISO!!!

    Na velhas batalhas, travadas pela humanidade,para se consolidar e garantir seu direito de ir e vir…quando os combates invadiam as ruas dos burgos,cada um fazia de seu lar uma trincheira,mesmo que pagasse um alto preço por esses direitos…Assim foi na França,na Inglaterra e aquí no Brasil Colonial,Imperial e hoje BRASIL REPUBLICANO…NINGUÉM EM SÃ CONSCIENCIA, E, AMEAÇADO EM COM SEUS PODERES DE CIDADANIA , TRANSFORMADOS EM UM RETROCESSO,PODE SE OMITIR NESSA BATALHA CONTRA O CRIME E CONTRA O MAL…Escoteiro,soldado e membro da sociedade humana,de alguma forma estarei na luta ,contra esse absurdo que grassa em nossa Ilha Encantada…É uma Epidemia…é uma Desgraça…é um Desafio à bondade do nosso povo e os inúmeros atentados,deixaram de ser crime, para ser o inicio de um processo de terrorismo urbano e de guerra civil…Nossa Ilha Encantada,agredida pela histórica Guerra Civil Repulicana de 1893 e as Ditaduras Republicanas,não pode ficar refém dessa ignominia…Minha Saudação neste 15 de Novembro de 2012, é essa:”ELES NÃO PASSARÃO!!!”Se meu velho sangue grosso e rubro,tiver que lavar o caminho, para futuras gerações sadias,eis o momento…Não podemos perder mais um minuto…Guerra é Guerra!!!

  7. eno josé tavares says:

    MEU ETERNO AKELÁ… PATAS TENRAS… GENTIL BALOO…ONDE TÁ TU…?
    verás no brilhar dos olhinhos ,dos teus descendentes mais tenrOs,uma inigualável ânsia de viver perto da natureza,que explode em miríades coloridas,de sabores indescritíveis e de sentimentos inenarráveis…Velho Lobo ..guia de muitos lobinhos, que não tinham teu sangue e ou aparentagem…por certo estão a uivar silenciosamente, em seus coraçõezinhos hodiernamente encanecidos, pois eles meninos à sua época, de idade de 7a 11 anos,passados cinquenta anos,encanecidos, dessa benesse da tua bonominia,devem perguntar por ti:MEU ETERNO AKELÁ E GENTIL BALOO…ONDE TÁ TÚ?Em que toca ou caverna estás tú…nosso querido LOBO PRATEADO?
    (Em tempo:achastes ,ou ,acharam as fotos?Nada tenho ,pois, tudo deixei na Séde da Bocaiúva,quando passei a Chefia ao Paulinho).Era um patrimonio artístico,cultural e humano,de uma época inacreditavelmente bela ,e ,que por certo seria algo mais, para tua Alkatéia Familiar,eis que barbudo e circunspecto,deves ser a figura do AVOSÃO…

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *