Encontro

Publicado em: 16/06/2016

Era uma bela manhã de segunda-feira, no calçadão da Felipe Schmidt em Florianópolis.

floripaUma coincidência incrível reuniu grandes amigos. Cada um deles com um papel especial na vida.

Caminha com serenidade, dona Educação, quando encontra um amigo:

– Bom Dia, que prazer em vê-lo! Como tem passado?

– Dona Educação. A senhora não muda mesmo. Suas expressões e atitudes são tão delicadas.

– Bondade sua, senhor Bom Dia. A simples menção do seu nome me faz feliz.

– Dona Educação, olha só quem se aproxima. Dona Gentileza.

– Que prazer encontrá-los meus queridos amigos. Dona Educação, seu Bom Dia.

– Ah, dona Gentileza, sua presença torna mais agradáveis nossos dias.

– Gentileza, ouvi uma excelente matéria a seu respeito – Diz dona Educação:

– Sua atitude no ônibus onde ninguém deu lugar a um deficiente físico. Não é de surpreender vindo de ti, minha amiga.

Dona Gentileza, meio sem graça, responde:

– Por favor, não fiz nada além do que deveria.

– Esse não morre mais – diz seu Bom Dia – Vejam quem se aproxima, seu Por Favor.

– Que maravilha encontrar três dos meus grandes e verdadeiros amigos!

Seu Bom Dia, dona Educação e dona Gentileza sentem-se felizes com as palavras sinceras do amigo. Ele ainda diz:

– Por favor, deixem que eu lhes pague um café.

– Dona Gentileza diz com um lindo sorriso:

– Ah, senhor Por Favor, até para uma gentileza o senhor diz, por favor:

– Dona Gentileza, assim me deixa sem graça. Ainda mais diante tão preciosos amigos.

Um clima romântico paira no ar com o cavalheirismo de seu Por Favor, diante a delicadeza de dona Gentileza.

Os quatro amigos tomam um café naquela bela manhã de inverno acompanhados de uma ótima conversa. De repente, são surpreendidos pelo senhor, Com Licença.

– Senhor Com Licença – diz dona Educação – Não me chame de senhor, apenas, licença para a honra de me sentar ao seu lado e dos demais amigos.

Dona Educação manifesta sua falta de esperança de melhores atitudes das pessoas quando ouve seu Com Licença:

– Amigos, olhem, é dona Esperança. Ela está distante, não vai nos ver.

– Seu Bom Dia levanta-se e educadamente aumenta o volume da voz:

– Bom dia!

Dona Esperança, já sem esperança de ouvir um bom dia, olha para o lado e se emociona ao ver os cinco amigos.

Todos se levantam enquanto, seu Por Favor, puxa a cadeira para dona Esperança.

O tempo passa e eles não se dão conta, até que são surpreendidos mais uma vez, e agora por três amigos que caminhavam juntos. Os amigos se levantam e dizem com alegria:

– Boa Tarde, Boa Noite, Perdão. Se juntem a nós nesse belo dia!

Dona Esperança fala sobre as atitudes e comportamentos que se tornaram comuns, mas deixam as pessoas distantes e indiferentes com seu próximo. Seu, Por Favor, manifesta não crer em melhoras. Seu Perdão e dona Esperança se levantam. Seu Perdão toma a palavra:

– Perdão, meus amigos, mas creio que não devemos desistir – Dona Esperança completa:

– Imaginem se perdermos a esperança? Vamos continuar fazendo a nossa parte.

Nesse instante são interrompidos com muita educação por mais um amigo:

– Obrigado por existirem e não desistirem. Cada um de vocês é fundamental a toda sociedade!

– Obrigado – dizem os amigos – que alegria rever o amigo. E obrigado pelas palavras.

Nesse exato momento ouvem uma voz entusiástica:

– Parabéns, meus amigos. Fico feliz em saber que estão unidos e que continuam valorizando um ao outro.

– Seu Obrigado levanta e agradece em nome de todos as palavras do amigo, Elogio.

E já ao findar aquele dia as pessoas que passavam por ali ouviam em várias vozes:

Bom dia. Com licença. Boa tarde. Que gentileza. Boa noite. Perdão. Por favor. Muita educação. Obrigado. Jamais percam a esperança. Que bom ouvir um elogio.

Eles continuam por aí. Às vezes se encontram, mas mesmo que separados fazem toda a diferença no dia a dia!

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *