Esporte no rádio: audiência e críticas

Publicado em: 23/06/2011

Não costumo escrever sobre pesquisas de audiência das rádios e muito menos de transmissões ou programas esportivos. Tenho acompanhado os mais importantes sites e blogs diariamente. Li há dias a pesquisa do IBOPE a respeito do rádio esportivo e os comentários inseridos no blog do jornalista Anderson Cheni. Gostaria de dizer que criticar companheiros de profissão (narradores, comentaristas e repórteres) dá uma ideia de coisa mandada.  Eu fui alvo de um blog e intervenção de seu responsável ou no caso irresponsável junto a direção da Rádio Record para impedir a minha vinda em 2009, mesmo depois de já contratado no final de 2008.
Isso, partindo de quem diz ser jornalista e companheiro de trabalho, além de antiético é de uma total falta de respeito. Aliás, ele mesmo impediu que em 1997 eu recebesse o troféu Bola de Ouro escondendo a correspondência enviada por José Jorge. Essa é a forma que determinadas figuras do meio encontram para segurar o emprego, prejudicando profissionais e pais de família.

Ou como um outro que em 2005 não aceitou a minha contratação dizendo que se eu chegasse ele sairia pela outra porta. Essa pessoa não deve ter sua consciência tranquilo. Fui prejudicado profissionalmente nessa ocasião e durante anos em que trabalhamos na mesma empresa. Não satisfeito me prejudicou com o apoio de colegas e buscou por todos os meios afastar-me dos meus amigos que havia constituído aqui em São Paulo fora do rádio.

Desculpem o desabafo, Deus já me deu a oportunidade de perdoá-los, e eu como cristão os perdoei. Voltando à audiência e as críticas feitas no blog do Cheni, quero lembrar que o rádio AM continua com grande audiência no futebol e nessa frequência é ouvido por pessoas a partir da faixa etária de 25 a 30 anos. Já na frequência FM o público vai basicamente até essa faixa etária. Cada ouvinte tem suas preferências de narrador, comentarista, repórter e emissora. E isso precisa ser respeitado afinal, audiência de verdade não se compra, adquire-se. É isso aí.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *