Fatos inusitados que acontecem

Publicado em: 29/03/2008

Olhem! A ética não ficou para todo mundo. Ana Maria Braga no seu programa “mais você” e no calor da disputa do BBB 8 disse que os eliminados Marcos e Tathiana deveriam estar na casa e não Gyselle, pois ela era muito morta.
Por Antonio Paiva Rodrigues  

Não confundir morta com atos libidinosos de alguns participantes desse BBB 8, e no se esbaldar na gandaia. O mesmo aconteceu com o participante “Galego” que não coadunava com determinadas atitudes de componentes da casa e foi eliminado.
Em termos de cultura o BBB nada traz para o País. A mais perniciosa ação do programa foi o incentivo ao consumo excessivo do álcool, da comida e a grande liberdade libertina. Tudo ao vivo e por debaixo dos lençóis.
Ainda existem pessoas que mesmo diante de tantas prevaricações (adultérios) se comportam como seres humanos inteligentes, dedicados e educados e sabem o que querem. Decência ainda está em moda no Brasil, senhora Ana Maria Braga. No programa final do BBB 8 muitas personalidades do meio artístico deram opiniões variadas e quem deveria ser o ganhador do prêmio.
Tudo transcorria normalmente e as estatísticas em outros sites davam a piauiense Gyselle como vencedora. Depois de muita expectativa o apresentador brother Pedro Bial iria anunciar o vencedor.
Uma voz surgida de algum lugar veio parar em seus ouvidos. Não avise agora, pois o computador entrou em pane e o resultado é empate, um fato inusitado. Deram mais alguns minutos e foi dito em alto e bom tom que o vencedor foi o paulista Rafael (Rafinha). Bial com um sorriso meio sarcástico afirmava que tudo estava empatado. Como? E em poucos minutos um candidato sobrepõe o outro em 0,15%.
Algo estranho pairou no ar. Enquanto, o governo luta para diminuir o consumo de álcool e os alcoólicos do país, o BBB proporcionava festas e bacanais regados a álcool e comida, mesmo sendo o álcool a droga mais criminosa, mas infelizmente legalizada, visto que rende milhões para o governo. Um santo descobrindo outro.
Uma coisa ficou patente nesse programa, a discriminação. Por incrível que pareça os nordestinos ainda são exageradamente discriminados por uma grande maioria de brasileiros. Esquecem os discriminadores que eles em sua grande maioria são descendentes de nordestinos e que os nordestinos tiveram papel preponderante no crescimento do Brasil, tanto no patrimonial como no cultural.
A palavra patrimônio aqui não tem sinonímia de posse, mas a força descomunal desprendida pelos discriminados nordestinos, que através de trabalhos estafantes, perigosos, desgastante, acidentes e mortes conseguiram alavancar a pátria, o Brasil de hoje.
Pertencemos a uma associação séria e competente, AOUVIR – Associação dos Ouvintes de Rádio, bem que poderíamos somar um pouquinho mais e transformá-la em Aouvirte – Associação dos Ouvintes de Rádio e Telespectadores. Uma bela sugestão com título atrativo. Passo essa idéia ao amigo professor Francisco Djacyr Silva de Souza, que com sua inteligência e perspicácia intelectual haverá de pelos menos apreciar a proposta.
A nossa mídia precisa melhorar muito, pois não é só de corpos bonitos e sarados como dizem no surrado clichê popular e de caras bonitas, mas sim de qualidade já que o profissional do jornalismo foi colocado na geladeira. Infelizmente vivemos no maior nepotismo midiático, onde o QI tão valorizado transformou-se no simples e prejudicial, quem indica!


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *