Futsal em traje de gala

Publicado em: 14/04/2013

Buscou e encontrou em acervos de entidades, clubes e particulares, centemas e fotos que ilustram em cores a história do salonismo do nosso Estado.

Édio Nunes*

Clique na foto para ampliar

O período de 50 anos é um tempo extremamente curto quando comparado com àquele de que se tem conhecimento da existência da humanidade. Contudo ele se alonga quando se pretende resgatar dados, fatos e acontecimentos numa sociedade que não exercita a preservação da sua memória.

Louvável, pois, o denodo e persistência do Maury Dal Grande Borges que, a exemplo do que já fizera com o futebol e o remo de Santa Catarina, mergulha na pesquisa do salonismo catarinense para, ao final, nos brindar com este excelente Futsal em traje de gala.

Esbarrando em dificuldades que vão desde a inexistência de registos oficiais e/ou confiáveis de nossos clubes, federaçãoo e ligas, até a má vontade e inexplicável negativa de colaboração de pessoas que historicamente estiveram envolvidas com esse esporte, mesmo assim, ele consegue levantar um panorma que permitirá levar ao leitor a mais próxima e real possível história do futsal catarinense dessas cinco décadas.

Para tanto, debruçou-se em pesquisa junto à mídia catarinense, mesmo sabendo que a cobertura dos chamados esportes amadores nunca foi forte do nosso jornalismo esportivo; procurou contatos com dirigentes de clubes, federaçãoo e ligas, assim como com atletas que participaram ao longo desse período formatando um mosaico  de informações que estão sintetizadas na finalizaçãoo desta obra.

Buscou e encontrou em acervos de entidades, clubes e particulares, centemas e fotos que ilustram em cores a história do salonismo do nosso Estado.

Trouxe resultados de jogos, conquistas e títulos, enfim, números e dados que sintetizam o período enfocado.

Há, evidentemente, lacunas e omissões que o autor não se permitiu, pela já citada ausência de dados oficiais e confiáveis decorrentes dessa nossa cultura que não se preocupa com a apreservação da maemória.

Mas, para quem viu o futebol de salão em Santa Catarina disputando a céu aberto e em quadras de cimento, com espírito eminentemente amador, sem equipamentos de alta tecnologia na preparaçãooa dos atletas, com tênis inapropriados (quem lembra do kichute?), com bola extramente pesada, e vê os dias atuais do futsal dispondo de arenas de última geração, tecnologia d eponta, atletas e comissões técnicas dedidicados exclusivamente e profissionalmente a essa atividade, é gratificante ver um livro que traz para os dias atuais, a história de gerações ue possibilitarm ao salonismo catarinnese atingir o desenvolvimento hoje existente.

Parabenizo à Federação Catarinense de Futebol de Salão pelo seu “jubileu de ouro”, ao magnifico e impagável trabalho de recuperaçãao e pesquisa exercitado pelo jornalista Maury Dal Grande Borges, traduzido neste Futsal em traje de gala, e rendo a minha homenagem a todos qus construíram a história desses 50 anos do nosso esporte, traduzids na lembrança da figura de Rozendo Vasconcellos Lima, indiscutivelmente a grande unanimidade que o futebol de salão catarinense construiu. (Apresentação do livro lançado em 2007)

* Ex-atleta do Industrial, Juventus, Paineiras e Clube do Cupido | Ex-dirigente do Clube do do Cupido e Federação Catarinense de Futebol de Salão.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *