Grande Rondon

Publicado em: 19/02/2013

Rádio CBN Brasil | MUNDO DIGITAL, com Ethevaldo Siqueira
Milton – Ethevaldo, hoje é 19 de fevereiro. Essa data traz alguma lembrança sobre personalidades brasileiras e mundiais na área de comunicações?
Ethevaldo – Traz pelo menos duas lembranças, Milton. Uma delas é do Marechal Rondon, patrono das comunicações no Brasil, falecido há 55 anos, no dia 19 de fevereiro de 1958. Positivista e republicano, Rondon levanta a cabeça alguns segundos antes de morrer e diz: Viva a República! Vou falar hoje sobre Rondon. Amanhã, lembraremos Arthur Clarke.

Milton – Na sua avaliação, qual foi a contribuição do Marechal Rondon na área de comunicações?
Ethevaldo – Foi a construção de mais de 6 mil quilômetros de linhas telegráficas, para unir o Rio de Janeiro, então capital federal, à Amazônia, no fim do século 19 e começo do século 20.

Milton – Mas a obra de Rondon vai muito além das comunicações, não é verdade?
Ethevaldo – É verdade, Milton. Além de sua contribuição às comunicações, Rondon é reverenciado por seu trabalho extraordinário na defesa e proteção do índio brasileiro. Descendente de índios Terena e Bororo, ele nasceu na cidade de Mimoso e seu nome completo era Cândido Mariano da Silva. Mudou-se para o Rio de Janeiro e entrou na Escola Militar aos 16 anos.

Milton – E qual foi a contribuição de Rondon em favor dos índios brasileiros?
Ethevaldo – Rondon criou uma nova consciência entre os exploradores dos sertões brasileiros, defendeu o entendimento pacífico na aproximação entre brancos e índios. Criou até o lema: “Morrer, se preciso for. Matar, nunca”. E foi o criador do antigo Serviço de Proteção ao Índio, que se transformou na Funai. Ele falava 12 idiomas indígenas e comunicava-se com as tribos na própria língua deles. Nunca permitiu que seus subordinados utilizassem métodos violentos contra os índios.

Milton – Você acha que o Brasil reconhece o valor e a grandeza do Marechal Rondon?
Ethevaldo – Entre as instituições nacionais, só as Forças Armadas e, em especial, o Exército Brasileiro reconhecem e cultuam condignamente a figura de Rondon. Mas tenho a impressão de que as escolas não ensinam muito sobre esse grande brasileiro. Pessoalmente, Milton, eu não conheço outro brasileiro que tenha dedicado sua vida a servir ao País com maior dedicação e patriotismo do que Rondon. O dia 5 de maio, data de seu nascimento, é, por lei, o Dia Nacional das Comunicações. Em sua homenagem foi dado o nome de Estado de Rondônia ao antigo Território do Guaporé. As Forças Armadas o homenageiam como Patrono das Comunicações. Amanhã relembraremos um grande cientista e escritor que deu enorme contribuição às comunicações mundiais, também falecido em 19 de fevereiro, há exatamente cinco anos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *