HB 122: A sorte estava lançada

Publicado em: 22/02/2012

Era tudo diferente. Os imigrantes deixaram uma Alemanha que oferecia condições de vida bem melhores. Era um país já definido, com situação econômica estável, ainda que pudessem subsistir circunstâncias políticas motivadoras do desejo de mudar de ares. Por outro lado, o chamamento da terra prometida tem sido atração muito forte desde tempos imemoriais. O aceno para uma nova vida, com a possibilidade de realização dos mais caros sonhos, se mostrava capaz de atrair os mais desassombrados. Fazia atravessar mares, em busca do desconhecido, superando obstáculos, vencendo dificuldades, ultrapassando barreiras, a todos quantos se deixaram sensibilizar pelo eldorado destas terras.
Pois bem! Vamos encontrá-los em seus primeiros momentos naquela selva misteriosa e algazarrenta. (EE) Já conformados frente ao impacto da chegada, atiraram-se, corajosamente, ao trabalho. Em pouco tempo a mata cerrada cedeu aos golpes do machado, transformando-se nas primeiras plantações de subsistência dos colonos. Desafiando mosquitos, animais peçonhentos, grotas perigosas – inexistentes na terra de origem – mediram os primeiros lotes à margem direita do Ribeirão Garcia. E nasceu um rancho, construído de palmitos, para abrigo de oitenta a cem pessoas. Era preciso estrutura para acolhida dos colonos que estavam por vir, até que construíssem suas próprias moradias.
A seguir: para o Dr. Blumenau, todavia, cresciam as dificuldades e aumentava o desespero.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *