HB 141: Dr. Blumenau volta à sua carta

Publicado em: 08/08/2012

Nosso propósito, a partir do capítulo sessenta e oito, foi conhecer detalhes da vida pessoal do colonizador. Na maioria dos casos semelhantes, a história tem sido pródiga em registrar a obra. O realizador passa a ser conhecido pelos feitos, deixando-se em segundo plano os valores pessoais colocados à disposição desses feitos. É uma questão de justiça ao mérito. Neste caso, a história da fundação de Blumenau não é mais nem menos apaixonante do que a história de vida do fundador e seus seguidores. Aqueles que nos legaram esta maravilhosa cidade talvez nunca cheguem a receber o tributo que lhes é devido, independente do volume das honrarias já registradas, na dimensão que lhes é devida.

Dr. Blumenau volta à sua carta. Ainda que parecesse já finalizada, a necessidade deve tê-lo levado a alguns acréscimos esclarecedores. Retorna ele: “em Santa Catarina cresce de tudo que se planta com uma exuberância, um viço que é uma alegria se ver. O Brasil é uma terra magnífica, especialmente na parte sul. É uma pena que a emigração alemã se encaminhe antes para os Estados Unidos do que para cá, pois os colonos nunca alcançam o que poderiam obter aqui, com uma natureza que os favoreceria muito. Muita gente corre cegamente atrás do primeiro conversador que aparece e deixa-se facilmente iludir por um fraseado fantasioso que, à gente de juízo, causaria riso”.

A seguir: Dr. Blumenau retoma o otimismo.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *