HB 58: A Sociedade de Navegação Fluvial e o Vapor Blumenau

Publicado em: 13/08/2010

Chegamos ao ano de 1878. A colônia seguia um ritmo de crescimento e progresso verdadeiramente notáveis. E no dia dois de junho tinha lugar a instalação da Freguesia de São Paulo Apóstolo de Blumenau. Os acontecimentos se deram em meio a cerimônias imponentes, compatíveis com a importância do evento. O Padre José Maria Jacobs foi promovido a vigário da freguesia, para cujo desempenho recebia uma côngrua de sessenta mil réis por mês.

Em 1878 o movimento migratório foi bastante tímido. Apenas algumas famílias de italianos e austríacos aportaram na colônia. Já no ano seguinte -1879 – deram entrada quatrocentos e cinqüenta novos imigrantes. Este ano ficou marcado ainda pela fundação da Sociedade de Navegação Fluvial. A primeira embarcação da sua frota foi o vapor “Progresso”, destinado ao transporte de cargas e passageiros da Vila de Itajaí à freguesia de Blumenau. Não há como omitir a importância desse acontecimento diante da precariedade do transporte por terra na época, feito a cavalo ou pela carroça. Logo em seguida a Sociedade adquiriu a segunda unidade, o Vapor Blumenau, cuja réplica tem estado em exposição na Praínha, à disposição da história e da cultura.

1879 foi, realmente, ano marcante em acontecimentos na colônia. Além da instalação da Freguesia de São Paulo Apóstolo, da entrada em funcionamento de uma linha regular de navegação fluvial, dava-se a fundação de uma pequena tecelagem denominada Roeder, Karsten e Hadlich. Por iniciativa de Johann Karsten, que já havia instalado no Testo Salto uma atafona e uma serraria, a fábrica começou a funcionar com seis teares adquiridos por ele na Alemanha. Aquele modesto empreendimento – hoje reconhecido como o grande propulsor do crescimento e desenvolvimento da região onde se instalou – tornou-se a Karsten S/A, que continua a fazer história no universo dos produtos têxteis.

No próximo capítulo: a emancipação política de Blumenau.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *