História da Rádio Difusora União – 1070 Khz

Publicado em: 11/05/2005

Em 10 de outubro de 1943, os empreendedores Abílio Holzmann e Manoel Machuca, presentearam União da Vitória e Porto União, com a fundação da Rádio União a ZYD-3.
Por Caique AgustiniO jornal “O Comércio de 19 de outubro de 2001, no seu Espaço Cultural, a Professora Terezinha Wolff, relata muito bem os primórdios da Rádio União:

“Era outubro de 1943. Ano em que o Presidente Getúlio Vargas assinava a Consolidação das Leis Trabalhistas, a música sucesso de Carnaval era “Adolfito Maria Mouros, os carros moviam-se a gasogênio (um aparelho, que no período da Guerra, instalado na parte traseira substituiu a gasolina) e, em nossas cidades nascia a primeira emissora radiofônica. Diariamente, a partir de então, o locutor importava a voz para anunciar: “Neste momento está entrando no ar o ZYD-3 Rádio União, a rainha do Vale do Iguaçu”…

Se até então, rádios importados, Zenith, Saratoga e Interocean adquiridos nos grandes centros, eram privilégio de alguns, com uma emissora local instalada, passaram a ser encarados como de utilidade pela população. Adquiridos aqui, com a Casa Willi Reiche, vieram ocupar lugar nas salas de muitas residências.

As linhas melódicas, programadas para todos os gostos, com uma discografia atualizada na época e imorredoura no tempo, de músicos, cantores, orquestras nacionais e internacionais, constituíam-se em verdadeiras aulas radiofônicas pela nossa ZYD-3. Quem as ouviu, naquela década, por certo as tem na memória para recordá-las vez por outra. Nomes e nomes e quem sabe, muitos mais de orquestras a instrumentais, de cantores e cantoras à conjuntos vocais de duplas sertanejas à duplas caipiras, de tenores à sopranos.

Se procurarmos no cantinho onde fica escondida a saudade, lá ainda vibram os acordes das orquestras de Radamés Gnattali e Fon-Fon; da típica Argentina de Francisco Canaro; da cubana de Xavier Cugat; da mexicana de Augustin Lara; das americanas de Gleen Miller; Victor Young, Jimny Dorsei e Cole Porter. Dos instrumentistas da pianista brasileira Carolina Cardoso de Menezes; flautistas Benedito Lacerda e Dante Santoro; violonistas Garoto, Canhoto e Dilermano Reis e dos acordeonistas Antenógenes Silva e Mário Mascarenhas, todos brasileiros; Saxofonista Louis Armstrong e da organista Ethel Smith, americanos …

Lá estão as vozes do tenor brasileiro Vicente Celestino e do italiano Enrico Caruso; do soprano brasileiro Bidu Saião e da americana Jeanett Mac Donald … Dos imorredouros brasileiros Gilberto Alves, Silvio Caldas, Francisco Alves, Nelson Gonçalves e Ciro Monteiro; do Mexicano Pedro Vargas; do argentino Gregório Barrios; do Francês Charles Frenet; dos americanos Bing Crosby e Frank Sinatra…

Discografia da ZYD-3, que também ensinou líricos e clássicos de Strauss, Puccini, Verdi, Villa Lobos, Carlos Gomes, permitindo conhecer os gêneros musicais. Entre um e outro, os “jingles” das “Pílulas de Vida, da Magnésia” de Orlando Rangel, do “Melhoral”, do Grindélia de Oliveira Júnior e dos cremes “Antissardina” e “Pond’s”…. Muitas pessoas, com certeza, ainda lembram hoje, quando freqüentavam entre as décadas de 70, os programas de auditório que a Rádio União promovia, quando estava localizada na Rua Visconde de Guarapuava S/N, no prédio onde está hoje a Loja Total. Esse programa era direcionado ao público jovem, nas tardes de sábado, apresentando grupos musicais e cantores locais que cantavam músicas nacionais e internacionais da “Jovem Guarda”.

Entre os nomes expressivos dos primeiros funcionários, que fazem parte da fase áurea da história da Rádio União, destacam-se as irmãs Daisy e Viviane Durski, locutoras que vieram de Ponta Grossa, Aristides Adam, Mano Bastos, Maria Aparecida Wanderlei na sonoplastia, as irmãs Fecci, Hilda Girardello, cantora mais tarde, Nelly Reginatto, locutora, Oliveira Índio, que tinha espaço para o seu violão, Dante de Jesus Augusto, com seu famoso “Bom dia para você”, Zenon Silva, cantor, Nelson Gonçalves Dias, Mário Rinaldi, que organizou uma bela orquestra, Lamartine Augusto e Leocádio Vieira (Cadinho), que tinham um atraente programa de esportes. Mais tarde, Carlos Jakimiu gerenciou a emissora, Pereira Filho, o valente gerente que acolheu a novela “O crime do Iguaçu”, Darcy Camargo, locutor, Jaime Resende, locutor, cantor, Trajano Pereira, diretor de teatro, Dilcy Mendes, cantora, Shirley Muller, locutora, Remy Nogara, locutor, “o menino dos olhos verdes”, Elza Stasiak, Argentino Dal’Bó, Manoel Muzillo e Arialda Ribas, Clóvis Pacheco, Ivan Vidal Portela, Alfredo Alberto Munhoz. O jornalista René Augusto foi o responsável pelo maior jornal falado, de uma época em que a Rádio União apresentava dez programas semanais, produzidos pelo Departamento de Produção Lulu Augusto, que foi uma competente diretora da emissora.

Vale a pena lembrar também um dos nomes mais marcantes, que faz parte da história da Rádio União. É o do Deputado Estadual Aníbal Khury, conhecido como o “guru” da política paranaense. Detentor de uma personalidade carismática e sensível, um ser humano iluminado, afável e bem humorado, influenciou a história do Paraná, dedicando-se à vida pública por 32 anos e foi Presidente da Assembléia Legislativa por cinco vezes. De Curitiba, coordenou à distância, por um longo período compreendido entre 1976 a 1999, as “Organizações Curi”, da qual faziam parte a Rádio União e a Rádio FM Verde Vale Ltda (94.1MHZ), essa última foi instalada, iniciando suas atividades durante a gestão do Deputado Aníbal Khury, que conseguiu a concessão oficial para o seu funcionamento, graças à sua influência em todos os setores.

Nesse período, grandes locutores destacaram-se como: os irmãos Orley e Airton Maltauro Filho, Claudinei e Roberto Otto, Osmair Shcroh, Carlos Eduardo, Celso Platz, Bira Barbosa e o Conjunto Montanari, formado por Fernando Montanari, no acordeon ou ao piano; Léo no violão; João Pedro, no pandeiro e a “Crooner” Iracy Pereira. Dentro do programa “Figuras e Fatos”, apresentaram-se nomes famosos como o do cantor Yvonich Furlani e dos maestros Felício Domit e Emílio Taboada. Quando aconteceu a implantação da Rádio FM Verde Vale, a Rádio União mudou-se juntamente, para as novas instalações, na Rua Dario Antonio Bordin, nº 313, no centro de União da Vitória, onde até hoje permanece instalada. Com a morte do Deputado Aníbal Khury em 31.08.99, as duas Rádios foram adquiridas por um novo grupo de profissionais competentes que as administram até o presente momento.


{moscomment}

1 responder
  1. Aldo Mikaelli says:

    Completissima essa narrativa do nascimento da Rádio União. Rica em detalhes, dando uma visão completa do que foi o início. Viviane e Dayse, ambas ja falecidas, naturalmente deram um brilho todo especial a programação já que foram duas excelentes locutoras.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *