História – O paletó irá para a Udesc

Publicado em: 13/04/2006

Como a Casa da Memória de Florianópolis é um centro de documentação histórica, e não um museu, peças do acervo do comediante Pituca como traje, acessórios e troféus serão encaminhados para outras instituições. Por enquanto já está definido o destino dos dois primeiros itens.
Por DENISE RIBEIRO
Diário Catarinense, 13/04/06

O paletó – doado a Regis por Procópio Ferreira e utilizado pelo catarinense durante as filmagens de Quem Roubou Meu Samba, na década de 50 – será doado ao Museu da Moda, da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). À instituição também serão doados o boné e os óculos utilizados pelo ator na novela Araponga, da Rede Globo. Para o coordenador da Casa da Memória, Fábio Brüggemann, a conservação de um acervo como esse pelo centro de documentação é “uma das coisas mais fantásticas que o poder público pode fazer para a comunidade”.
– Oferece uma base para o conhecimento da história e ciências humanas de forma geral – avalia Brüggemann.
Para Antunes Severo, a importância da disponibilização desse acervo deve-se ainda ao fato de Mozart Regis ser um dos primeiros artistas da década de 40 em Florianópolis. Severo é também um dos editores do site www.carosouvintes.org.br, junto com Ricardo Medeiros, em que são divulgados textos sobre personagens que, como Regis, marcaram a história do rádio catarinense.


Cartazes de filmes e peças ajudam a reconstituir não somente a
trajetória de Pituca, como a da arte catarinense .
 Foto(s): Roberto Scola/DC

Além do rádio, do teatro e da televisão, Pituca também participou de várias produções no cinema. Além de Quem Roubou Meu Samba, dirigido por José Carlos Burle e que tinha como destaques Ankito (que recentemente fez uma participação na novela Alma Gêmea, como o Falecido) e Maria Vidal, ele está em cenas de O Petróleo é Nosso, de Watson Macedo, Carnaval em Marte, também de Macedo, além de Garotas e Samba e É a maior, ambos de Carlos Manga, produzidos pela Atlantida.
Na sétima arte, Mozart Regis se aventurou ainda como diretor em parceria com George Dusek, no curta-metragem Carnaval em Florianópolis, realizado pela Secretaria de Turismo da Capital. (D.R.)
Link Relacionado:
:: História – Os registros de Pituca


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *