Inácio Rohden: o radiojornalismo em FM

Publicado em: 04/01/2009

“É difícil encontrar alguém que não tenha ouvido rádio, não é mesmo? Mas é fácil encontrar pessoas que não sabem como surgiram as emissoras de rádio em Freqüência Modulada (FM) e como elas partiram para o radiojornalismo”.

Com essa pergunta e a afirmação que vem logo a seguir, o radialista e agora Bacharel em Comunicação Social, Inácio Rohden encaminha um dos mais recentes e importantes trabalhos monográficos na área do radiojornalismo em Santa Catarina. A começar pelo campo de investigação – o radiojornalismo em emissoras FM – pois que esta questão é recente, os estudos são poucos ou quase nenhum e a importância e atualidade são indiscutíveis.

Radiojornalismo em emissoras FM: o caso do sistema 103 de Rádios no extremo Oeste de Santa Catarina foi defendido e aprovado pela banca examinadora do Curso de Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo da Universidade do Oeste de Santa Catarina – Unoesc, Campus de São Miguel do Oeste, neste final de ano letivo de 2008.

“Além de uma satisfação pessoal do autor, com os resultados da pesquisa, inédita na região, os futuros pesquisadores, palestrantes, professores, alunos e curiosos terão mais argumentos para oferecer ao conhecimento público. Pois contempla informações desde as rádios pioneiras da década de 1920, partindo para a explosão das FMs nas décadas de 70 e 80 e chegando à atualidade”, acrescenta Inácio Rohden.

A seguir, o resumo acadêmico do trabalho. A íntegra estará no site Caros Ouvintes proximamente compondo a Seção Pesquisa destinada à produção acadêmica desde textos isolados até teses de doutorado.

“Para entender por que essa opção foi adotada pelos radiodifusores e suas etapas seguidas na solidificação dos projetos, o estudo de caso foi efetuado no Sistema 103 de Rádios, em São Miguel do Oeste, SC.

No desenvolvimento são enfatizados os caminhos de produção e apresentação de radiojornais, rádiorevistas e outros eventuais formatos que são integrantes da programação radiofônica da FM.

Da mesma forma evidencia os principais momentos radiojornalísticos, suas mudanças operadas para chegar ao contemporâneo e resgatar a trajetória percorrida na implantação do rádio. Procura demonstrar a inserção do radiojornal ‘Chamada Geral’ no contexto regional e sua transmissão em três emissoras pela denominada ‘Rede 103 de jornalismo’.

Também traz uma reflexão da capacidade do rádio FM no debate pluralista e no exercício do papel de cidadania, na comunidade onde está implantado, com a devida interação com o público ouvinte. E apresenta pontos positivos e negativos observados durante a pesquisa, com sugestões para eventuais mudanças no radiojornalismo, vindo ao encontro do interesse público”.

1 responder
  1. Laís Dantas says:

    Olá Pessoal,

    Moro na Bahia, em Itabuna e sou estudante de jornalismo. Estou fazendo a minha monografia sobre a presensa do jornalismo nas FMs itabunenses. A entrega é para o dia 7 de junho. O material para esse tema é escasso. Li a postagem e esse material pode me dá um suporte enorme na minha pesquisa bibliográfica. Vcs podem me enviar o contato do Inácio Rhoden? Ou a sua monografia?
    Não encontrei aqui no site e nem em nenhum endereço da net.
    Obrigada e aguardo LOUCAMENTE a resposta.

    Abração!
    Laís

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *