Lá como cá

Publicado em: 01/06/2005

Rúbia Vasques, que vive na cidade de Santos, São Paulo e que faz parte ativa desta comunidade de apaixonados pelo rádio, acaba de defender a sua tese de doutorado que é sobre as emissoras rádio da sua bela cidade.
Da redação

A Rúbia, provocada pelos editores do Caros Ouvintes faz revelações sobre algumas descobertas inesperadas em sua pesquisa. Como estas, por exemplo: Apesar da legislação falar X, os empresários têm feito Y e o pior, legalmente. A forma de obtenção de emissoras aqui em Santos, arrendamento, “venda”, transferência de donos, mudança de sócios é uma festa.

Para vocês terem uma idéia, no decorrer da pesquisa da tese, várias emissoras mudaram de dono, de programação (arrendamento para a igreja Evangélica), mudaram nome fantasia, ou mudaram de freqüência.

Eu cheguei a obter depoimentos de coordenadores de emissoras que disseram: “o antigo dono diz que não possui mais interesse em explorar a rádio, daí ele abre mão da emissora. Nós chegamos lá e dissemos que estávamos interessados, assim, conseguimos a transferência”. Após esta declaração ele pede que eu desligue o gravador e diz: pagamos X reais por isso. É mole?

Rúbia, as coisas por aqui não são muito diferentes. Em Florianópolis, em menos de um ano duas emissoras mudaram de arrendatário e de programação três vezes.


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *