Livro “Chapecó e Medellín – Unidas para sempre” será lançado em Florianópolis dia 3 de março

Publicado em: 18/02/2020

O livro “Chapecó e Medellín – Unidas para sempre”, de autoria do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, e do jornalista Paulo Hoeller, será lançado dia 3 de março em Florianópolis, na Livrarias Catarinense do Beiramar Shopping, às 19h30.

“A obra de 232 páginas e 19 capítulos é a narrativa sensível e abrangente sobre um evento singular que impactou a vida de Chapecó e Medellín e a relação entre o Brasil e a Colômbia, após o acidente aéreo ocorrido em 28/11/2016 quando o time da Chapecoense, comissão técnica, dirigentes e jornalistas dirigiam-se para a disputa da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional”, afirmam os autores. “Muito além de um relato centrado apenas nos aspectos do acidente, o livro buscou ressaltar também facetas humanas, afetivas, cidadãs e solidárias que aproximaram profundamente as comunidades de Chapecó e Medellín, justificando o título `Unidas para sempre´”, complementam.

Outra particularidade da publicação é a de ser narrada, em grande parte, na primeira pessoa, com o testemunho direto do protagonista Luciano Buligon, que viveu intensamente o processo como líder da missão brasileira responsável por ir até a Colômbia e acompanhar todos as ações implicadas no resgaste e nas providências de translado dos sobreviventes e das vítimas fatais ao Brasil. “Trata-se, basicamente, da relação que se estabeleceu entre os municípios de Chapecó e Medellín após o acidente e o seu impacto entre o Brasil e a Colômbia, gerando um efeito de solidariedade, de aproximação e mudança da relação entre os povos destes dois países”, afirma o prefeito Buligon.

O livro é prefaciado por Julio Glinternick Bitelli, diplomata e embaixador do Brasil na Colômbia de 2016 a 2019, época em que ocorreu o acidente. “O livro que o leitor tem agora em suas mãos é sobretudo uma homenagem às vítimas, em primeiro lugar. É também um reconhecimento a todos os envolvidos nos trabalhos que tornaram possível aquele quase milagre dos sobreviventes. E é, ainda, uma profissão de fé no futuro de duas cidades, uma brasileira e a outra colombina, distantes na geografia, mas agora para sempre unidas na fraternidade e no afeto”, destaca. “Chapecó e Medellín têm muito em comum, apesar das diferenças em tamanho e população. Ambas são exemplos de boa administração e de êxito. Ambas são reconhecidas e admiradas por sua resiliência, pela valorização do trabalho e da inovação, pela autossuficiência e pela prioridade que dão à dignidade dos que nelas vivem”, analisa.

Luciano Buligon e Paulo Hoeller

O jornalista Paulo Hoeller relembra as inúmeras gravações que realizou com o prefeito Luciano Buligon para reconstituir a linha do tempo do processo nos mínimos detalhes. “Este esforço de autenticidade documental e jornalística dos autores confere ao livro um tom extremamente fiel à história contada, valorizando também as grandes lições e as virtudes das pessoas que construíram o passado, que vivem o presente e projetam o futuro das cidades de Chapecó e Medellín, conclui Hoeller.

A obra tem a capa, ilustrações e gráficos produzidos pela artista Luciana Gâmbaro e contou, também, com a assessoria editorial do jornalista Mário Xavier. O livro já está à venda, em Florianópolis, nas Livrarias Catarinense do Calçadão da Felipe Schmidt e do Beiramar Shopping, na Livraria Nobel do Floripa Shopping e do Shopping Itaguaçu, e na Livraria Guga em Jurerê. Em Chapecó, na Livraria La Fontaine do Shopping Pátio, na Livraria Construtiva (Praça Coronel Bertaso) e na loja da Chape junto à Arena Condá. Também pode ser adquirido no website do Mercado Livre.

Contatos com o jornalista Paulo Hoeller: (48) 98404-0516 / Email: [email protected]

Texto da orelha do livro

Foi difícil escrever “Chapecó e Medellín – Unidas para sempre”, por uma série de fatores. O principal deles foi o emocional. Não há como pesquisar, entrevistar e escrever um relato como este sem viver na pele, novamente, tudo o que aconteceu.

O acidente é um fato, mas a partir dele, foi gerada uma série de ações, reações e análises que levam o livro a viajar por lições que vão além da tragédia em si, como por exemplo, quando aborda o sofrimento de uma cidade – Chapecó ? abalada psicologicamente com o desaparecimento prematuro de um dos seus maiores orgulhos, o time da Chape; ou quando trata da imagem equivocada que o mundo ainda tem da Colômbia.

“Chapecó e Medellín” é fruto do esforço de dois anos de intenso e criterioso trabalho de pesquisa, tratamento e elaboração de depoimentos e informações. Traz, nas suas páginas, um amplo conteúdo abrangendo essas duas cidades que, por meio dos seus clubes de futebol, chegaram à final de uma competição internacional que não aconteceu por força de um terrível acidente aéreo.

É a narrativa sensível, abrangente e sóbria sobre um evento singular, que impactou a vida de Chapecó e Medellín e a relação entre Brasil e Colômbia. Luciano Buligon, prefeito de Chapecó, e Paulo Hoeller, jornalista, fazem um relato minucioso de tudo o que ocorreu antes, durante e depois que o “sonho aterrissou nos jardins de Cerro Gordo”.

# # #

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *