Luiz Renato Ribas, memória e história do rádio paranaense

Publicado em: 15/07/2012

Luiz Renato Ribas, realizador de um trabalho admirável no resgate da memória da radiofonia paranaense.

Dentre tantas realizações que assinalam a constante atividade de Luiz Renato Ribas Silva, vale destacar a pesquisa da Memória Paranaense por ele iniciada em 2005. É um trabalho de imensurável valor, resgatando e produzindo em audiovisual, depoimentos e obras daqueles que fizeram e fazem a nossa história. Esse precioso acervo foi doado ao Instituto Cultural Cinevideo1, do qual Ribas é presidente. É um número enorme de depoimentos com pessoas do comércio, da indústria, das ciências, das artes e, dentre as entrevistas efetuadas, grande parte é de profissionais do Rádio e da Televisão do Paraná. Nessa realização Ribas conta com a participação do veterano Renato Mazânek, outro abnegado defensor de nossa história.

Esse dignificante e exaustivo trabalho ouvindo os radialista para salvar a memória do nosso Rádio, construindo, as suas expensas, um acervo de inestimável valor, tornam Renato Ribas merecedor da nossa gratidão de radialistas e paranaenses, incluindo-o, com admiração e respeito, nesta nossa Galeria. O que ele está fazendo não o faz para si, mas para o nosso povo.

Luiz Renato nasceu em Ponta Grossa em 1933. Filho do comerciante Domingos e de sua esposa dona Antônia, mãe espírita, ele nos conta que deveria ser Xavier da Silva, mas aos dezoito anos descobriu que fora registrado Ribas Silva.

O próprio Ribas, que se define como Pontagrossense de nascimento, paulista na adolescência e curitibano por vocação, completou o científico no Colégio Estadual do Paraná, formando-se advogado pela Faculdade de Direito de Curitiba em 1962.

A vida profissional de Ribas começou pelo turfe, como editor de uma revista, depois como narrador de corridas de cavalos pelas Rádios Marumby, Guairacá e Colombo. Em seguida atuou nos jornais A Tarde, O Dia e foi, como jornalista, um dos fundadores do Diário do Paraná. Produziu e apresentou programas de televisão.

Em 1961 foi o editor-proprietário da revista TV Programas que chegou à tiragem de 23.000 exemplares (dos quais 18.000 eram para assinantes pagos e 5.000 destinados à venda nas bancas). Fundou, em 1972, a empresa gráfica Digital, em 1973 a revista Guiatur, em 1974 a Directa, culminando com a criação, em 1980, da Associação Tape Clube do Paraná, depois Disk Tape e Video1.

Em 1993 Luiz Renato Ribas lançou em Curitiba a primeira agência de apostas de turfe, via satélite, do Paraná – a Cavalus.

Foi funcionário da Receita Federal de 1954 a 1972. Em 1973 ingressou no Rotary Clube de Curitiba oeste, presidindo a entidade no biênio 1982-1983. Graduou-se no CPOR como oficial da reserva.

Em 1958 Ribas casou com Regina Pinheiro Machado e o casal tem dois filhos (Luciana e Luiz Fernando), dois netos (Alexandre e Renata) e uma bisneta (Yasmim).

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *