Marcos Batera: de hobby à profissão

Publicado em: 18/05/2008

Marcos Schaefer Lehmkuhl, natural de Florianópolis começou na bateria aos 14 anos, observando dois grandes da cidade: Helinho e Tida, com quem teve as primeiras oportunidades de se iniciar no instrumento.
 Por Antunes Severo

Posteriormente em conjunto com alguns músicos da orquestra do (Clube) “Doze”, passou a dar “canja” na “Vila Palmira”, ocasião em que predominavam para dançar os ritmos da rumba, do mambo, do chá-chá-chá, do bolero e do samba. Em menos de três anos Marcos participa do grupo “The Eagles” que tocava rock instrumental com repertório à base da banda americana “The Ventures”.
Em 1969 fez parte da banda da Escola de Engenharia da UFSC que se apresentava em vários bares da cidade, tendo tocado inclusive com Luiz Henrique Rosa, nos tempos do Bar Samburá em Florianópolis.
Em função de sua atividade profissional, em 1974 foi trabalhar no Oeste de Santa Catarina quando integrou a banda “Relicário Brass”, de Concórdia – SC, cujo repertório era baseado no da “Banda Veneno” de Erlon Chaves. A banda Relicário Brass, fazia bailes e com ela teve a oportunidade de acompanhar “Gregório Barrios” em algumas cidades do Oeste do Estado.
Retornando à Capital em 1983, apresentou-se com a “Banda Jazzida” em vários bares da cidade, principalmente no “Lugar Comum”, tradicional reduto da noite festiva de Florianópolis. E daí “desandou pra frente” como diria a Neide que também gostava de fazer seus trocadilhos. E foi justo nessa fase que o Marcos (bateria) e Paulinho Padilha (piano) acompanharam Neide Maria num sem numero de apresentações pelos clubes, boates e bares da cidade, inclusive o dela, lá na Lagoa da Conceição.
Ainda assim, Marcos encontrava tempo para tocar com a Banda 4 Carajás” especializada em jazz instrumental, bossa nova e samba;  e com a “Banda Metal Brasil” especializada em música instrumental; ou com a “Banda Gafieira Light”,  especializada em música dançante e que portanto, toca vários ritmos.
Também é dessa época a participação de Marcos na gravação do LP de Neide Maria, Eu sou Assim, produzido pelo Norberto Depizzolatti com a participação de nomes consagrados de nossa música popular como Mirandinha, Mazinho, Paulinho Padilha, Marcelo Muniz, Joel Brito, Sílvia Beraldo, Osvaldo Ferreira de Melo, Irê Silva, Luiz Alberto Robinson, Wagner Segura e mais uma pá de gente fina que dá até dor no coração de não citar todos aqui.
Marcos Schaefer Lehmkuhl, ou Marcos Batera como prefere, toca “em um trio (piano, baixo e bateria) especializado em bossa-nova, samba, jazz, boleros, mambos e muito mais”, como gosta de dizer. E eu completo: anote aí, até o final do ano o Marcos Batera estará a bordo de um transatlântico de luxo fazendo o que mais gosta – tocando bateria e bongô na orquestra do navio.
Dos cinco discos gravados ao vivo com diversas bandas nestes anos de muita curtição musical, eu destaquei do CD “Batucada”, Rio, samba de Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli com interpretação de Cássio (guitarra), Leco (teclado), Marcos (bateria) e Fábio (baixo acústico).
Link Relacionado
Áudio
Em tempo: Para adquirir os CDs do Marcos 48 9953 1977 e [email protected]


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *