Mário Lago e sua criação imortal: Nada Além

Publicado em: 09/11/2005

Na era de ouro do rádio brasileiro – entre a segunda metade dos anos 30 e que avança até os anos 50 do século 20, compor era um bom negócio e um meio de vida para muita gente.
Por Chico Socorro

Hoje vamos contar a história da criação de um fox-canção que teve 10 gravações diferentes: Nada Além, criada por Mário Lago em parceria com Custódio Mesquita.
Custódio Mesquita foi um dos  parceiros mais freqüentes de Mário Lago  durante a sua primeira fase (1936-1941). A primeira  composição de Mário Lago, a marcha Menina, eu sei de uma coisa,  interpretada por Mário Reis, foi criada em parceria com Custódio Mesquita, em 1936. Apesar de seu temperamento difícil, Custódio e Mário tinha muitas coisas em comum: amavam o teatro, a música e a vida boêmia.
Convém lembrar que os compositores, em geral, eram  quase todos de origem humilde. E viviam basicamente de compor músicas populares. Na época, era muito comum vender   músicas enquanto que a questão do copyright era ainda muito incipiente.  Com relação  a Nada Além, Mário relata no livro Boêmia e Política como se processou a venda dos direitos autorais:

“—- Em 1937, vendi Nada além, parceria com Custódio Mesquita, para os irmãos Vitale. Eram editores e fui pedir um vale. Estava difícil, acabei vendendo a música que depois estourou. Mas surgiu Amélia, outro estouro, e o Vitale também quis comprar. Finquei o pé e pedi a ele para anular o contrato de venda de Nada Além. Como a música [Já] tinha rendido muito, ele concordou: me pagou os direitos e cancelou o contrato. Concordou também em registrar o copyright de Amélia para mim  e o Ataulfo Alves. Mas, na pressa, acabei esquecendo da anulação [de Nada Além] e aquela música não me rendeu ”nada além” do que recebi”.
Nada Além  se destaca na história da MPB por vários motivos.
Antes de tudo, ela é simplesmente imortal, sua letra não sofreu nenhuma corrosão, após quase sete décadas.
Criada em 1938, teve 10 gravações diferentes.
A gravação original, consagrada até hoje,  foi feita com  Orlando Silva, o Rei das Multidões.
Nos anos 70, foi a vez de Maria Bethânia interpretar Nada Além.
Em 1988, exatamente 50 anos depois da gravação original,  Nada Além  foi utilizada como abertura musical da novela Vida Nova, da TV Globo na voz de Nelson Gonçalves.
Nada Além    teve o seu revival  neste ano de 2005, através do espetáculo teatral e musical Orlando Silva – O Rei das Multidões, grande sucesso em São Paulo, Rio de Janeiro e também em Florianópolis.
Para vocês poderem  conferir a atualidade de Nada Além, reproduzimos a seguir a sua letra:
Nada além,
Nada além de uma ilusão.
Chega bem, é demais
É de mais para o meu coração
Acreditando em tudo que o amor
Mentindo sempre diz,
Eu vou vivendo assim
Feliz na ilusão de ser feliz.
Se o amor
Só  nos causa sofrimento e dor
É melhor,
Bem melhor a ilusão do amor.
Eu não quero e não peço
Para o meu coração
Nada Além de uma linda ilusão.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *