Mocambo

Publicado em: 15/09/2005

Na Rádio Guarujá de Florianópolis, durante os anos 1950, Gustavo Neves Filho foi autor de Mocambo. Na novela, as senhoras e senhoritas da cidade tinham muito a comentar. Amor, ódio, estupro, mortes e um final feliz num ambiente do Brasil-escravocrata do século 19.
Por Ricardo Medeiros

Em 84 capítulos, o público acompanhou a história que envolveu Margarida, os médicos Eduardo e Fernando, e a escrava Liduína – eternamente apaixonada por Eduardo. Margarida e Eduardo tornaram-se noivos num enlace de interesses familiares. A jovem Margarida, mesmo com o coração batendo forte por Fernando, aceitou desolada sua união a um outro homem, num tempo em que quem escolhia com quem seus filhos iriam se casar eram os pais.

Desesperado com a situação, um dia Fernando invadiu o quarto de sua amada e, bêbado, forçou Margarida a fazer amor com ele. O noivo da mocinha, Eduardo, certo dia desapareceu na floresta e foi tido como morto. Com isso o que parecia impossível tornou-se realidade para os outros dois personagens : Margarida e Fernando casaram-se.

Porém, Eduardo não estava morto. Ele foi mordido por uma cobra, passou mal e como conseqüência amputou uma perna. Este médico teve a sorte de ser encontrado pela escrava Liduína, que lhe contou a nova vida de Margarida. Magoado e sentindo-se traído, Eduardo, com a cumplicidade de Liduína, planejou dar um fim na sua ex-noiva.

Ele pediu, então, para a escrava atrair Margarida até uma cachoeira, lugar ideal para sacramentar a sua vingança. Mas quem acabou morrendo foram Liduína e Eduardo, que caíram na cachoeira. Assim Fernando e a mocinha terminaram juntos no final da novela Mocambo.

Paralelo às novelas, a equipe da Rádio Guarujá de Florianópolis  encenava peças completas em quadros como O Rádio Conto Musical, uma mania nacional de representar pelas ondas hertzianas as histórias de certas canções, tática que já havia sido experimentada no Estado catarinense pela Rádio Clube de Blumenau. Em  Aponte o Culpado, tratava-se sempre de uma radiofonização policialesca que cabia ao ouvinte indicar, entre os suspeitos, o verdadeiro assassino ; e em  Onde a Terra Termina eram narradas aventuras de pescadores. Havia igualmente, voltado ao homem do campo e também ao pescador, a Casinha de Caboclo , que unia música e dramatização, sob o comando de Aldo Silva, que veiculou este programa na Guarujá de 1948 até quase o final da década de 1950 na ZYJ-7.


{moscomment}

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *