Morreu o jornalista e radialista Flávio Alcaraz Gomes

Publicado em: 05/04/2011

A morte do radialista e jornalista gaúcho Flávio Alcaraz Gomes nesta terça-feira comoveu profissionais da imprensa. O presidente da Associação Rio-grandense de Imprensa (ARI), Ercy Pereira Torma, define o porto-alegrense como “um homem de personalidade e opiniões fortes”. Ele tem uma característica que é rara na imprensa brasileira: ele cresceu, tornou-se cronista, diretor de empresa, mas sempre manteve sua personalidade de repórter. O próprio nome do programa que comandava, o Guerrilheiros da Notícia, mostrava a postura que me mantinha frente à comunicação: sempre guerrilhando e lutando pela notícia — afirmou o presidente da ARI.

O radialista Antônio Carlos Macedo destaca a transformação do formato dos programas jornalísticos na Rádio Gaúcha, quando Alcaraz Gomes trabalhou na emissora:

— Aqui na Gaúcha, teve participação nos anos iniciais do formato talking news, na década de 1980. Transformação essa que consolidou a emissora como uma das mais importantes do país no segmento.

O presidente da ARI lembrou a capacidade de Alcaraz Gomes de observar os fatos e alterar o roteiro das coberturas jornalísticas quando fosse necessário:

— Quando estava na Itália, em direção ao Vietnã, percebeu a movimentação na cidade e acabou cobrindo a Guerra dos Seis Dias. Ele sabia onde estava a notícia.

O radialista Wianey Carlet descreveu Alcaraz Gomes como “um homem tremendamente talentoso e muito contraditório”. O jornalista Kenny Braga lembrou que o colega de profissão trabalhou até pouco tempo antes de morrer:

— Acho interessante que ele trabalhou até o final da vida. Em nenhum momento abandonou o rádio ou a sua profissão. Isso é muito importante.

Para Macedo, ele tem uma das trajetórias “mais ricas do rádio do Rio Grande do Sul” e foi pioneiro em coberturas internacionais:

— Lembro bem em 1968, vindo com os meus pais de Esteio, com o rádio no bolso, preparado para acompanhar a transmissão do embarque do homem para o espaço, feito de forma pioneira pelo Flávio Alcaraz Gomes direto dos Estados Unidos. Este é um pequeno registro do pioneirismo do Flavio em coberturas internacionais — resumiu. (Zero Hora).

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *