Mudanças são necessárias

Publicado em: 10/06/2007

O rádio é um poderoso meio de comunicação que teve papel importantíssimo na luta contra o analfabetismo. Por suas ondas, o Projeto Minerva chegava aos mais distantes locais de nosso país, emissões educativas que de certa forma tinham grande importância na luta contra esse mal real e que configurava um país sem desenvolvimento e deseducado.
Por Francisco Djacyr Silva de Souza (*)

Nos dias de hoje esse papel foi, de certa forma, transferido para a televisão, que através de algumas emissões (tele-curso), promove a educação supletiva que também tem grande importância na formação educativa de nosso povo.
O rádio hoje é mais informativo e musical e menos educativo, pois os programas não têm o conteúdo didático de outrora e muitas vezes são repletos de pornofonia e gracejos anárquicos e desrespeitosos para com o espírito de nosso povo. Assim, temos vários programas que, por não terem acompanhamento dos radiodifusores responsáveis e seus programadores, são espetáculos de impropérios e discussões que não levam a nada. É preciso repensar o arrendamento para que o arrendador não diga o que quer, nem o que os poderosos o mandam dizer.
É preciso união
Tudo isso precisa mudar, pois o rádio deve resgatar os antigos valores que dele faziam parte. Não é saudosismo, mas precisamos manter o que é bom sempre presente. O povo já se organiza em prol de um rádio-cidadão com conteúdo, onde as mudanças são exigidas. Já temos grupos (como é o caso da Associação de Ouvintes) que buscam programas informativos e educativos. Esses grupos não são pequenos e podem promover uma nova ordem no mundo radiofônico.
O rádio precisa mudar, mas para mudar é preciso que exista uma união entre as associações de rádio e televisão, Sindicato dos Jornalistas, Sindicato dos Radialistas, Associação de Ouvintes, associações comerciais, federações do comércio e da indústria e outros que acreditam que rádio é para educar o povo, e não para promover a baixaria e discursos nem sempre verdadeiros. Quem se habilita?
(*) Presidente da Associação de Ouvintes de Rádio do Ceará.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *