Mudando

Artigo publicado em: 29/04/2013

Duas notas sem destaque num jornal paulista, indicam que a Rede Globo está vivendo tempos de mudanças. Segundo o jornal, a Rede Globo teria perdido grande parte da verba oficial, o que leva o telespectador mais atento, a uma observação, até certo ponto válida; o discutido controle da mídia via verbas oficiais, se é que existiu, estaria acabando. Se for verdade, muito bom para todos; telespectadores e empresários do setor. Uma empresa que não precisa ficar atrelada aos interesses oficiais, se relaciona melhor com a opinião pública e desenvolve um trabalho mais eficiente na forma de noticiar, criticar ou comentar as ações governamentais.  Se tudo não passar de suposições, fica como está.

Mas, as mudanças estão ocorrendo, também, na apresentação de telejornais. Já saíram da telinha alguns rostos bonitos com os quais o telespectador estava acostumado há muito tempo. Eram rostos que além da beleza transmitiam as notícias com a eficiência de quem tem talento e anos de experiência.

Fátima, Carla e especula-se que Sandra também estaria com pé fora do ar. A TV perde um trio de altíssima qualidade profissional, beleza, charme e muita elegância na frente das câmeras. Como perguntar não ofende, pergunto; saíram do ar, por quê? Seria pela idade que chegou com aquela quase imperceptível ruguinha no canto do olho? Em muitos casos, ou melhor, para muitos diretores, vale mais a aparência, a beleza, uma cara bem maquilada, do que o bom desempenho e credibilidade que a apresentadora (apresentador) conquistou ao longo do seu tempo como âncora.

Apresentador de televisão não é jogador de futebol que ao chegar aos 40 anos se aposenta por que os músculos não aguentam tanta pancada. Na telinha músculos e algumas rugas não contam, ou não deviam contar; o que vale é o talento e a experiência do profissional. Nos EEUU e em muitos países da Europa, a maioria dos apresentadores de telejornal já está na chamada terceira idade há muito tempo.

Difícil entender a troca de profissionais de alto nível por outros com menos experiência que ainda tem muito que aprender na arte de se comunicar com o público.

O que seria do Globo Repórter sem a bela e correta locução do Sérgio Chapelain, que comemora 40 anos de telinha e desafia o tempo e os reformadores que teimam em trocar o bom pelo pior. Sérgio é um dos melhores apresentadores da TV desde que chegou na TV Globo para fazer dupla com o inimitável Cid Moreira.

Nessa onda de troca na TV está faltando uma troca ou ajuste na pauta de muitas emissoras para aproximar mais a notícia do telespectador. Interessa mais o que acontece mais perto de casa. No Bom Dia Brasil insistem em colocar matérias que só tem interesse para quem mora em São Paulo ou Rio de Janeiro. Caminhão tombou na Marginal Tiete, fizeram arrastão num restaurante, tombou um carro na Avenida Paulista, teve ressaca no Rio de Janeiro, troca de tiros entre policiais e traficantes. E daí?

O que nós em Santa Catarina, temos com isso. Quem mora em Florianópolis, está mais interessado no congestionamento nas pontes, nas ações policiais contra o bandido alienígena ou Manezinho do Mal que perturbam a vida tranquila, pacífica e invejável do Manezinho do Bem.

São Paulo e Rio de Janeiro são as maiores e mais importantes cidades do país, mas estão longe demais para que esse tipo de noticia tenha interesse para quem não mora por lá.

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *