Na calada da noite

Publicado em: 07/12/2011

No ano de 1950 Curitiba contava com quatro emissoras de rádio quando se iniciou a campanha eleitoral para a sucessão no governo estadual. A Rádio Guairacá, pertencente ao grupo político do governador Moisés Lupion do PSD – Partido Social Democrático tinha posição clara e definida; a Rádio Emissora Paranaense mantinha laços muita fortes com o governador Lupion, amigo de Nagibe Chede; a Rádio Clube Paranaense era ligada ao grupo político do PTB – Partido Trabalhista Brasileiro. Das quatro rádios, somente a Marumby era neutra.

Essa posição de independência trouxe ótimos resultados na campanha eleitoral. Nessa época a propaganda política no rádio era paga.  Por essa razão o faturamento da Rádio Marumby, nesse ano, foi além das expectativas. Com o dinheiro ganho na campanha eleitoral, foi possível comprar um transmissor de FM, o primeiro no sul do Brasil e mais um transmissor AM para substituir o que operava desde a inauguração da rádio.

A propaganda dos candidatos era feita basicamente com “spots”, textos lidos por um locutor com apoio de acordes musicais e gravados em fita ou disco. Poucas emissoras tinham condições de fazer um bom trabalho nesse setor. Uma delas era a Rádio Guairacá, que possuía um estúdio bem equipado para gravações.  Era na emissora do governador Moisés Lupion (PSD) que as gravações de todos os candidatos, incluindo os adversários eram feitas, sem que os políticos soubessem disso. Um técnico da emissora, contatado por dirigentes das campanhas eleitorais do PTB e UDN – União Democrática Nacional, concordou em fazer as gravações durante a madrugada, ou seja, no horário em que a rádio ficava fora do ar.

(do livro Sintonia Fina – Jamur Jr.)

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *