Nomes e títulos

Publicado em: 14/12/2008

Continuamos no embalo das nostalgias nesse fim e inicio de outro ano. Queria falar de coisa boa para nossos leitores nessa data, mas nada me ocorreu.
Por José Roberto Mignone.*

Lembro dos nomes de uns programas que tivemos frente às emissoras em que exercemos nossa missão. É com eles que vamos falar de boas novas.

Uma vez houve um programa de rádio chamado Rota 66, porque era aquele ano. Tinha uma música fazendo sucesso com o título. Tudo baseado na famosa rodovia Californiana. Pois, transformando isso em mensagem atual, queremos que você trace sua “rota” sem desviar nem muito para a direita e muito menos para a esquerda e seja feliz, com paz.

Certa ocasião teve outro programa de radio com o nome de Perspectivas. Era de variedades e o nome dava a conotação do conteúdo. Pois bem, que em 2009  você tenha boas “perspectivas”, ou trace várias para que possa, pelo menos, acertar algumas e ser feliz no ano que entra. Perspectiva é igual fé. Sem ela não se consegue nada.

O ano que entra promete muito para quem lida com comunicação, principalmente na área de televisão e rádio. A televisão estará sendo consolidada digitalmente e isso abrirá muitas perspectivas de negócios para todos. O rádio entrará no processo final de ser também digital, sendo que ambos obrigarão uma reciclagem geral nos seus profissionais.

É bom não esquecer que tudo que se fizer nos dois veículos, servirá de base para conteúdos, tanto da internet, como do celular. Preparem-se. Muitas coisas acontecerão neste ano de 2009 e é bom se reciclar bastante. Tem muita gente chegando ao mercado com idéias que você nem imagina existir. E tudo já agora, em 2009.

*José Roberto Mignone
Formado em Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Já atuou como Locutor, apresentador, colunista de diversos veículos. Atualmente é Coordenador das emissoras de rádio da Rede SIM SAT e Colunista da revista SIM.

email: [email protected]

1 responder
  1. Aguinaldo Filho says:

    PRK-30 é o primeiro nome do rádio de então que me ocorre, sempre ouvido naquele rádio do papai que pegava ondas curtas com aquele dial tipo relógio e uma marca estrangeira. Programas como ‘O Anjo’, rádio teatro de aventura, que nos grudava junto ao enorme alto-falante do receptor. Lembro-me também do programa da Rádio Nacional chamado ‘Edifício Balança mas não Cai’, lembram? E o Albertinho Limonta, o galã da rádio-novela, O Direito de Nascer. Dalí muitos rádio-atores foram levados pela TV-Globo para suas novelas. Que mais… hmmm, vejamos… bem, tem aquele programa matinal que eu apresentava na Rádio Mayrink Veiga, com poemas que levavam a tangos e as ‘meninas da noite’ adoravam.
    Estou falando do rádio do início dos anos 60. Obrigado José Roberto por me fazer recordar um pouco do que costumamos chamar de ‘os velhos tempos’, mas que alguns temem em afirmar que ‘os velhos tempos’ estão acontecendo agora. Aquele abraço.

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *