Nota de pesar – Névio Capeler

Publicado em: 20/04/2015

Faleceu na noite de 16 de abril, por volta das 21 horas, em Tubarão, aos 81 anos, o professor Névio Capeler, um dos pioneiros da radiodifusão no Sul do estado, compositor, ex-padre e um dos intelectuais mais cultos da Cidade Azul.

Em 1959, quando a Diocese tornou-se proprietária da Rádio Tubá, a emissora passou a ser comandada pelos padres Raimundo Ghizoni, Manoel Sérgio da Silva Custódio e Névio Capeler. Névio dirigiu e apresentou por longos anos um comentário diário no tradicional Jornal das 12, da Super Rádio Tubá.

Casado e pai de uma filha, o professor aposentado Névio Capeler tem histórias para contar. Há 44 anos largou a vida de padre para dar um novo rumo em sua vida. Mesmo dispensado pelo bispo das funções, Névio diz que do ponto de vista espiritual sempre será padre. “Quem é padre, é padre para sempre”, disse ele à jornalista Carolina Carradore, do Jornal A Notícia em maio de 2002.

Natural de Nova Veneza, Névio recebeu a ordenação em 1963 e logo começou a exercer a função de secretário do primeiro bispo de Tubarão, Dom Anselmo Pietrula. “Era uma vida muita agitada. Rezava missas, cuidava de capelas”. Na época, ele era diretor do jornal “Correio Sulino” da diocese e maestro do coral da catedral. Em 1968 deixou de ser padre. O motivo para ele, foi a insatisfação com alguns problemas que começou a enxergar. “Comecei a me ver mais velho. Se não enfrentasse o problema na época e outras contradições, mais tarde não teria coragem. Claro que o fato de não poder casar também influenciou um pouco”, lembra.

Em 1966, pediu a dispensa ao Papa, que só foi concedida em 68. Nesse meio tempo, continuou exercendo as função de sacerdote. Em 1971, conheceu a professora Nara Bússulo Capeler, hoje diretora estadual do ensino médio. Em 72 casou e tiveram a filha Raissa. Mesmo dentro do casamento, Névio ainda conserva alguns costumes religiosos. “Freqüento a igreja, faço orações, tenho um oratório em casa e sempre carrego a carteira de padre”.

De um conhecimento cultural invejável, possui três faculdades, se aposentou como diretor da rádio Tubá, como professor da Unisul e como professor do Estado. Névio acha que os padres deveriam casar. “Os padres poderiam ter a opção de casar ou viver no celibato”.

Por Júlio Cancellier

0 respostas

Deixe uma resposta

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *